Câmara autoriza estacionamento rotativo em Maricá

Os vereadores de Maricá aprovaram, em segundo turno, projeto da prefeitura que vai instituir a cobrança de estacionamento rotativo na cidade. A proposta sobre quais ruas receberão a cobrança ainda está em estudo pela Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar). A lei aprovada segue para sanção do prefeito Fabiano Horta (PT).

O vereador oposicionista Ricardinho Netuno (PEN) reforçou a necessidade de ordenar o Centro da cidade. “Eu concordo em implementar o estacionamento rotativo no Centro. É preciso ordenar o trânsito, é preciso que os locais escolhidos não gerem ônus ao morador ou trabalhador da cidade. Existem ruas que não são as principais que não vejo a necessidade de aplicar o estacionamento rotativo, assim como nos bairros afastados do Centro”, disse o parlamentar que votou a favor do projeto.

O presidente da Câmara, Aldair de Linda (PT), elogiou o reconhecimento de Netuno e explicou a importância de instituir o sistema rotativo na cidade. “O interesse não é onerar o bolso, é organizar o trânsito. Eu já havia explicado que isso também vai aquecer o comércio no município, já que pessoas que trabalham nos grandes centros deixam seus carros aqui pela manhã que ficam estacionados o dia inteiro e os comércios acabam não tendo produtividade”, afirma.

Marcus Bambam (PV) acrescentou. “Estive na reunião de ordenamento do trânsito e tocou-se nesse assunto. Os representantes comerciais estavam lá e são a favor. A parte dos pontos de estacionamento será licitada pela Codemar. Há cláusulas que permitem o tempo de 30 minutos de tolerância”, relata.

Filippe Poubel (DEM), um dos maiores críticos do governo, sugeriu que no lugar da cobrança seja feita uma campanha educativa. Ele explicou que é contra o PL. “Fui procurado por comerciantes que não são favoráveis ao pagamento de estacionamento, mas sim ao ordenamento. Algumas coisas chegaram aqui sem informação”, disse.

Já Dr. Richard (PT) comentou que com a implantação da cobrança será possível cobrar valores mais baratos que os cobrados pelos estacionamentos privados. “Qualquer dono de terreno está abrindo estacionamento privado, não contribui com impostos, não tem garantia nenhuma para o veículo. Esses estacionamentos darão chance de o motorista achar uma vaga mais barata”, completa.

O líder do Governo, Fabrício Bittencourt (PTB) explicou que todo o dinheiro arrecadado será revertido em campanhas de trânsito. Ele disse que será feita audiência pública para tratar o projeto. “O projeto é totalmente público, não tem empresa privada envolvida. O dinheiro será revertido em campanhas de trânsito e segurança dos munícipes. Tenho mapeamento e algumas áreas serão divididas em setores. Cada setor terá um valor específico que ainda não está definido”, afirma.

Marcinho da Construção (DEM) também sugeriu que seja implantada cobrança única para todo o dia. Felipe Auni (PSD) explicou que o projeto será adequado de acordo com a legalidade. Ele ressaltou que esse é o pontapé inicial para organizar o trânsito no município.

Notícias Relacionadas