Cel. Márcio Rocha deixa comando do 12º BPMERJ; novo comandante já está definido

O 12º Batalhão da Polícia Militar, que atende Niterói e Maricá, tem novo comando. O Coronel Márcio Rocha, que estava a frente do comando desde novembro de 2016, foi transferido pelo comando da PMERJ no estado e agora irá chefiar o 3º Comando de Policiamento de Área (CPA). Quem assume o posto no 12º BPM é o tenente-coronel Marcio dos Santos Guimarães, que estava, até então, comandando o 7º CPA.

A mudança já foi publicada no boletim interno da PMERJ. Como ainda não houve a passagem de comando, quem está interinamente a frente do 12º BPM desde a última sexta-feira (25/05), data da publicação, é o Ten-Cel Marçal. Ainda não se sabe se o Capitão Marcelo Barreto, comandante da 6º CIA, responsável pelo policiamento na cidade de Maricá, continuará no cargo.

CRÍTICAS

Cel. Márcio Rocha era muito criticado em Maricá por focar no policiamento apenas de Niterói, deixando de lado as necessidades maricaenses. Durante a sessão na Câmara de Vereadores da última segunda-feira (21/02), os vereadores criticaram o posicionamento do então comandante, ao comentar um caso de perseguição ocorrido no Boqueirão no dia 18/05. O vereador Chiquinho (PP) reclamou da falta de blitz policiais. “Nossa cidade está ficando coisa de maluco. Eu não vejo uma blitz, imagina se não tivesse o Proeis. Não vejo blitz na Maminha de Ouro. Acho que está faltando mais orientação. Tem que fechar as entradas da cidade. Se acabar o Proeis a gente não pode sair mais de casa”.

O líder do Governo, Fabrício Bittencourt, voltou a reclamar do Regime Adicional de Serviço de policiais de Maricá sendo enviados a Niterói. “Estou com a escala do RAS compulsório. Niterói tem de oito a 14 pontos por dia de RAS compulsório. Maricá tem dois. Depois que reclamamos, eles colocaram dois pontos. Vários policiais que trabalham na companhia de Maricá estão sendo escalados para trabalhar lá embaixo”, disse.

Dr. Richard (PT) disse que Maricá não recebe prioridade na segurança pública. “Falar que não tem investimento em meio à intervenção. Uma viatura não faz verão”. O vereador Frank Costa (Solidariedade) pediu uma audiência pública. “O comandante já esteve aqui diversas vezes. Ele vem aqui conta a história de que não dá. Acho que temos que marcar uma audiência pública e chamar a população. Acho que esse comandante não percebe o aumento da violência”, concluiu.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.