Rio de Janeiro,

terça-feira, agosto 16, 2022
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #51

Grande Rio e Império Serrano não serão mais rebaixadas, diz Liesa

Mais lidas

No dia do aniversário de 453 anos da cidade do Rio de Janeiro, as escolas de samba Acadêmicos do Grande Rio e Império Serrano ganharam um presentão: elas não cairão para a série A do carnaval carioca. Assim ficou decidida na noite desta quarta-feira (28), a plenária da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa). Só Mangueira e Portela foram contrárias à anulação do rebaixamento.

Com o resultado, o Grupo Especial no ano que vem terá 14 escolas de samba, incluindo a Unidos do Viradouro, que subiu da Série A. No grupo de acesso, serão 12 agremiações desfilando. É o 2° ano consecutivo que nenhuma escola será rebaixada. Em 2017, Paraíso do Tuiutí e Unidos da Tijuca foram beneficiadas pela “virada de mesa” e permaneceram no Grupo Especial. A primeira, por conta de um acidente na Avenida que deixou uma pessoa morta e mais de 20 feridas. A segunda, após um desfile em que um carro alegórico despencou.

Este ano, Crivella havia reduzido a subvenção municipal destinada às escolas de samba do Grupo Especial, que caiu de R$ 2 milhões para R$ 1 milhão. O prefeito também se envolveu em polêmicas ao não ir mais uma vez à Marquês de Sapucaí, preferindo viajar para a Europa, “em busca de tecnologia que pudesse contribuir para a melhoria da segurança do Rio”, embora a área seja atribuição do estado. No ano passado, Crivella já não tinha ido ao Sambódromo, mas este ano a expectativa era de que ele fosse assistir ao desfile.

A Império Serrano tinha voltado este ano para o Grupo Especial com um enredo sobre a China e teve vários problemas em seu desfile, que estourou o tempo. A agremiação terminou em 13ª posição, último lugar no desfile. Já a Grande Rio, que fez uma homenagem ao apresentador de TV Chacrinha, também estourou o tempo e um de seus carros alegóricos sequer conseguiu entrar na Sapucaí.

 

spot_img
spot_img

Últimas noticias