Rio de Janeiro,

sexta-feira, setembro 17, 2021
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #40

Maricá criou quase 900 novas vagas de emprego apenas em maio, aponta Caged

Mais lidas

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia apontam que Maricá gerou, apenas no mês de maio de 2021, 899 novos postos de trabalho na cidade. Esse é um dos melhores índices já registrados pela cidade desde o início do acompanhamento da série histórica.

No mês, foram 1.384 admissões e 485 demissões. Quando observado o acumulado dos últimos 12 meses (entre maio de 2020 e abril deste ano), foram Maricá somou 2.651 postos de trabalho a mais, numa variação relativa de 15,45%.

“Os números reforçam a importância de todos os programas econômicos executados no município. Conseguimos proteger cada setor da sociedade fazendo com que a ciranda da economia continuasse girando e, consequentemente, conseguimos que empregos fossem protegidos e criados mesmo durante a pandemia”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Comércio, Indústria, Petróleo e Portos, Igor Sardinha.

Vale lembrar que a Prefeitura de Maricá vem fomentando a economia local através de programas sociais e de transferência de renda desde o início da pandemia. O município adotou os Programas de Amparo ao Trabalhador (PAT), que garante a informais, profissionais liberais e autônomos o valor mensal de R$ 1.045, e de Amparo ao Emprego (PAE), em que custeia parte da folha salarial de empresas da cidade a fim de evitar a perda de empregos.

A Prefeitura de Maricá também expandiu o valor pago do Renda Básica de Cidadania (RBC), o popular “Cartão Mumbuca”. Desde o início da pandemia, o benefício – que era de R$ 130 – foi expandido para R$ 300 por membro familiar.

O levantamento do Caged apontou, ainda, que Maricá possui uma variação média mensal superior aos números do Brasil, da Região Sudeste e do Estado do Rio de Janeiro. Considerando somente os cinco primeiros meses de 2021, bem como nos últimos 12 meses, Maricá possui a melhor variação relativa nos municípios acima de 100 mil habitantes no Estado do Rio de Janeiro.

Comparando a realidade dos municípios vizinhos, a cidade segue em uma posição privilegiada com uma variação relativa nove vezes maior do que Niterói e São Gonçalo e 15 vezes maior do que Saquarema, nos primeiros cinco meses do ano. Já o município de Itaboraí teve uma variação negativa de – 0,4%, o que deixa a região em sinal de alerta.

spot_img
spot_img

Últimas noticias