Para vereadores, a intervenção federal aumentou violência em Maricá

Fotos: Cláudio e Romário Barros

Fotos: Cláudio e Romário Barros

A segurança pública foi tema de debate mais uma vez durante sessão ordinária ocorrida na Câmara Municipal de Maricá. Os vereadores demonstraram preocupação com os casos de assalto que têm ocorrido na cidade nos últimos dias. Para os parlamentares, os índices cresceram após o início da intervenção federal.

Rony Peterson (PR) abordou os crimes ocorridos nas unidades escolares. Há casos de pais de alunos que estão sendo assaltados enquanto levam ou buscam os filhos nas escolas. Marcus Bambam (PV) explicou que pedirá a presença de guardas municipais nos colégios do município.

 “A segurança no parque Eldorado e Araçatiba, por mais que a prefeitura faça sua parte, está ameaçada. Os criminosos estão muito audaciosos. Vou conversar com o Netto (secretário de Segurança), para nos horários de entrada e saída de escolas terem Guardas Municipais para dar uma sensação de segurança. Vou falar com o secretário e tenho certeza que fará ação em Maricá”, explicou Bambam.

O presidente da Câmara, Aldair de Linda (PT), informou que fará ofício pedindo uma solução rápida para o problema de segurança pública em Maricá. “Acho que temos que tomar uma providência. Podemos ver para fazer ofício porque é preciso tomar atitude”.

O vereador Chiquinho (PP) sugeriu mais policiamento nas áreas escolares. “O 12° BPM tem que soltar um grupo de policiais para dar um choque de ordem. Sei que os policiais estão trabalhando, mas a cada dia que passa a situação piorou”, disse.

O vereador Filippe Poubel (DEM) salientou a necessidade de união dos vereadores para buscarem ajuda junto aos responsáveis pela intervenção.

O líder do Governo, Fabrício Bittencourt (PTB), sugeriu a criação de uma comitiva dos poderes Legislativo e Executivo para uma reunião com o interventor. “Acho que temos que fazer uma comitiva. Temos que marcar agenda com o interventor. Vamos marcar com o prefeito e vamos mostrar que queremos resolver isso. Vou levar esse problema ao prefeito”.

O vice-presidente, Frank Costa (Solidariedade), aproveitou para pedir que a população faça os registros de ocorrência para que a polícia tenha ciência de onde há mais índices de criminalidade.

O vereador Ricardinho Netuno (PEN) questionou sobre a presença de vigilantes nos módulos de segurança e não de policiais militares. Em resposta, Fabrício Bittencourt explicou que os PMs estão circulando nos bairros da cidade. Em contrapartida, Filippe Poubel questionou o fato de os vigilantes não serem munidos de armas de fogo.

“A prefeitura está fazendo estudo para poder portar armas de fogo”, respondeu Aldair de Linda.

Durante a sessão, o vereador Filippe Poubel informou que cerca de 40 policiais militares cercaram as entradas e saídas da cidade em busca de criminosos. “Nossa cobrança está ecoando. Em conjunto com o PROEIS nesse momento está havendo operações com mais 40 policiais. Temos que nos unir”.

Os vereadores Marcinho da Construção (DEM) e Felipe Paiva (PC do B) falaram sobre a importância de investir em tecnologia na segurança pública.  

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.