Rio de Janeiro,

segunda-feira, setembro 20, 2021
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #40

COLUNA

Seguimos na guerra em defesa do trabalhador!

Cláudio Vigilante
Presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e Regiões (SVNIT)

Mais lidas

Quem acompanha o trabalho do SVNIT vê que estamos lutando muito para defender o trabalhador de todas as empresas. A guerra que estamos travando, dessa vez, é com a G4S. Recebemos denúncias de que a empresa descumpriu a MP 1.045 e a nossa Convenção Coletiva de Trabalho (que está em vigor), e demitiu trabalhadores que não concordaram em assinar acordo para reduzir a sua remuneração.


Tivemos uma audiência com o Ministério Público do Trabalho e, infelizmente, as coisas não correram como a gente desejava. A denúncia que a gente apresentou foi arquivada pelo MPT por conta das ações que já estamos movendo contra a empresa. O órgão pediu para ser incluído nos processos para que, aí sim, possa se manifestar. Enquanto isso, quem sofre é o vigilante.


Nas ações que nós movemos, pedimos a anulação dos acordos individuais firmados. Esse tipo de acordo abre precedente para que a empresa pressione o trabalhador para assinar ameaçando mandar embora quem não aceitar aquelas condições. O que aconteceu: dois vigilantes foram demitidos – no outro processo, estamos justamente requerendo a reintegração de ambos.
Vale lembrar que o Sindicato dos Vigilantes de Niterói e Região já denunciou essa empresa outras vezes por diversas irregularidades e perseguição contra o trabalhador que não se submeter às vontades da direção da empresa. Um crime!


Estamos cansados de ver a nossa categoria servir de trampolim para que as empresas possam ter lucros cada vez mais altos. Nós não vamos permitir que nenhuma empresa explore os trabalhadores vigilantes. O tempo da escravidão já passou e não vamos, de forma alguma, aceitar essa exploração.
Estamos do seu lado, trabalhador. Só um vigilante sabe o que outro vigilante sofre em um posto de serviço!

- Advertisement -spot_img

Últimas noticias