12 horas de chuvas e muitos problemas em Maricá, Niterói e SG

Foto: Ruy Machado

Foto: Ruy Machado

A Região Metropolitana enfrenta diversos transtornos por conta das fortes chuvas que caem desde o final da tarde de ontem. Já foram registrados diversos pontos de alagamento.

Todos os pontos de Maricá registraram chuvas de moderada a forte na manhã desta terça-feira (09). Na Estrada dos Cajueiros, em Itaipuaçu, bolsões de água toma toda a via. Próximo a barreira, o trânsito chegou a ficar em meia pista logo nas primeiras horas da manhã.

Em São José do Imbassaí, moradores da Rua Quinze de Agosto e na Rua Sete de Setembro relatam que a água da chuva está invadindo as casas. Também foram registrados problemas na Comunidade do Mutirão.

A Defesa Civil de Maricá informou que o município entrou em Estágio de Atenção desde às 9h. O maior acumulado em 24 horas foi no pluviômetro de Barra de Marica, pertencente ao Alerta de Cheias – INEA, com 50,2mm às 08h57. No pluviômetro de Mumbuca, o acumulado é de 40,4mm. Os pluviômetros pertencentes ao Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais – CEMADEN registram 46,87 mm em Itapeba, 51,8 mm em Guaratiba e 35,65 mm no Espraiado também às 08h57. As equipes da prefeitura realizaram intervenções escoando água em pontos isolados, como bolsões no Centro, São José do Imbassaí e Itaipuaçu (especialmente na Estrada dos Cajueiros).

Nas RJ-104 e 106, os motoristas precisam ficar atentos. São inúmeros bolsões de água, obrigando os condutores a redobrar a atenção. Na RJ-104, há congestionamento nas alturas de Maria Paula e Tribobó justamente por conta dos alagamentos.

Em Niterói uma casa desabou no Morro do Cavalão agora pela manhã. Informações de que uma pessoa havia sido soterrada, mas resgatada consciente. 

A Prefeitura de Niterói informou que, devido à previsão de chuva de forte a moderada nas próximas horas, decidiu suspender as aulas na rede municipal de Educação. 

A Defesa Civil Municipal orientou os moradores a não se deslocarem pela cidade exceto em casos de extrema necessidade. Equipes de pronta resposta da prefeitura continuam acompanhando e monitorando de perto os núcleos de chuva e prestando atendimentos isolados à população.

A cidade registrou  diversos pontos de alagamento. Na Alameda São Boaventura, uma das principais vias de acesso à cidade para quem segue de Maricá e São Gonçalo, a situação no princípio da manhã era crítica, principalmente na altura da João Brasil. A baia do corredor metropolitano está completamente alagada. Avenida Roberto Silveira e Rua Presidente Backer também registraram pontos de alagamento. Na Rua Paulo César, esquina com Rua Pereira da Silva, veículos tiveram dificuldades para passar devido a um bolsão d’água.

As sirenes dos morros do Bumba, Estado e Viçoso Jardim foram acionadas por volta das 10h. A Prefeitura de Niterói pede para que quem está no Morro do Estado se dirijam para a EM Ayrton Senna; já no Bumba e Viçoso para a EM Sebastiana. Segundo a Defesa Civil de Niterói, os maiores acumulados em 1h até o momento são Morro do Estado, com 18,8 mm; Jurujuba: 10,8 mm; Morro do Palácio: 7,0 mm; São Francisco: 6,6 mm; Cavalão: 6,4 mm e Morro da Penha: 6,2 mm.

Notícias Relacionadas