Coronavírus: Maricá decreta Estado de Calamidade Pública

Em pronunciamento na tarde desta quarta-feira (18), o prefeito Fabiano Horta anunciou que a Maricá decretou Estado de Calamidade Pública. Além disso, foram adotadas medidas de combate ao coronavírus no município, entre elas estão: a suspensão de atendimentos e cirurgias eletivos na saúde nos próximos cinco dias (excluídos os casos de urgência).

Segundo o prefeito, o município possui nove casos em investigação e usará da força necessária para evitar as aglomerações.

“Medidas precisam carregar a dureza necessária no combate. Quem retardou as ações pagou com vidas. O que vai minimizar as mortes é o isolamento social. Precisamos ficar em casa. A luta contra o coronavirus é uma luta de todos. Uma luta que guarda um conjunto de ações que cada um precisa abraçar”, disse.

De acordo com a secretária de Saúde Simone Costa, é preciso que haja comprometimento com as normas do decreto. A cidade possui um número elevado de idosos e o risco é grande.

“Temos 18 mil idosos na cidade, é um grupo de risco. De 100 idosos podemos ter um grau de letalidade de 15, um número muito alto”, falou.

O prefeito também reforçou que o Hospital Che Guevara será reaberto. Ainda nesta quarta-feira haverá uma reunião no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Serão disponibilizados com a abertura  130 leitos e 20 CTI.

“Temos um conjunto de lutas no TCE em relação à contratação da OS. Hoje o TCE irá colocar em pauta o edital. Não tenho dúvida nenhuma que a abertura será feita em um curto espaço de tempo. Tudo será mais célere por conta do novo universo jurídico que se criou por conta dessa crise”, contou.

Ações decretadas hoje são:

Proibição do funcionamento, neste fim de semana (20, 21 e 22/03), de todos os quiosques de praia, barracas, ambulantes e comercio local em toda a orla de Maricá, cabendo às secretarias de Ordem Pública e de Transportes (através da Fiscalização de Posturas) a fiscalização e coibição das atividades;

Paralisação dos serviços públicos municipais, exceto os serviços essenciais, a partir desta quinta-feira (19) até a próxima segunda-feira (23);

Suspensão o passe livre estudantil por 15 dias;

Suspensão dos atendimentos e cirurgias eletivos na saúde nos próximos cinco dias (excluídos os casos de urgência);

Restrição nos atendimentos em bares, quiosques e restaurantes em 30% de sua capacidade e com horário restrito – 11h – 15h / 19h – 22h;

Proibição da entrada de ônibus de turismo na cidade, cabendo às secretarias de Ordem Pública e de Transportes (através da Fiscalização de Posturas) a fiscalização e coibição;

Descredenciamento do programa da Moeda Social Mumbuca dos estabelecimentos que aumentarem preços dos itens de primeira necessidade, como sabonetes, álcool gel, mascaras;

Hospital Che Guevara será aberto especificamente para o combate ao coronavírus – 130 leitos e 20 UTI;

*Atualização: Esta matéria foi retificada; o prefeito Fabiano Horta anunciou que a cidade estaria em Estado de Emergência. Ao final, a Secretaria de Comunicação distribuiu um comunicado informando que foi decretado, em Maricá, Estado de Calamidade Pública. São seis estágios de gravidade de situação, sendo o de Calamidade o penúltimo, enquanto o de Emergência é o terceiro.

Com isso, fica aqui a informação correta: a cidade de Maricá está em ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA por conta do coronavírus.

Notícias Relacionadas