spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #73

spot_img
spot_imgspot_img

Abandono: Rodovia do Arco Metropolitano, onde aconteceu tragédia com família, está abandonada há anos

spot_imgspot_img

Mais lidas

Após o acidente que afetou uma família inteira na BR-493, em Guapimirim, próximo à Magé, no estado do Rio, levantou novamente uma questão: O abandono do Arco Metropolitano.

Promessas da construção do Arco Metropolitano (Rodovia em torno da Baía de Guanabara) não saíram do papel. Quando começou a caminhar, as obras de duplicação foi abandonada pelo Governo Federal e concessionárias.

Um dos trechos mais complicados são os entre Magé e Itaboraí. Pistas simples mostram que obras de manutenção não chegam por ali há muito tempo. Matos na rodovia, rachaduras, buracos e falta de sinalização são visíveis no local.

A promessa de duplicação da estrada Magé-Itaboraí dura 10 anos. No trecho ainda é possível notar encontrar a placa do início das obras de duplicação da BR.

Em 2021, o Ex-Ministro de Infraestrutura e atual Governador de São Paulo, Tarcísio Gomes de Freitas, visitou as obras que acontecia na rodovia. Desde então, as obras não tem previsão de serem entregues e em diversos pontos foram abandonados.

O Km que teve obras realizadas sofrem com um outro problema: Assalto e perigo. Diversas empresas evitam passar pela região, pois a falta sinalização, iluminação e segurança para quem passa acabou apelidando o lugar de “Faixa de Gaza”.

O Arco Metropolitano tinha como objetivo desafogar o trânsito na capital do Rio de Janeiro, na BR-101 e também na Av.Brasil. Mas até hoje só foram concluídos pouco mais de 71 quilômetros que ligam Itaguaí a Duque de Caxias.

*Estagiário sob supervisão de Lucas Nunes*

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img