Abertura de Bienal da UMES reúne mais de 500 estudantes e autoridades de Maricá

Foi aberta na manhã desta segunda-feira (19/03), a 1ª Bienal da UMES (União Maricaense dos Estudantes). O evento aconteceu na quadra do CEIM Joana Benedicta Rangel e reuniu mais de 500 estudantes de todo município. O encontro, que conta com o apoio da Prefeitura, tem o propósito de envolver os estudantes para participar da construção política e cultural do município. A bienal segue até o próximo sábado (24/03), com a promoção de debates dentro das escolas e atividades artísticas e culturais, como teatro e oficinas. Ainda dentro da programação, serão realizados dois shows na Praça Orlando de Barros Pimentel, na sexta-feira (23/03), da banda Detonautas, e, no sábado (24/03), do cantor Projota.

Para o prefeito Fabiano Horta, que participou da cerimônia de abertura, a primeira bienal da UMES é um importante instrumento de transformação social. “As atividades de arte, cultura e esportes são armas para o fortalecimento da democracia e construção de uma política inclusiva”, disse. O prefeito ainda destacou a importância da UMES como uma entidade que permite do empoderamento dos estudantes. “Vocês são a geração que estão construindo uma política para todos e devem se apossar das decisões de Maricá. Eu não quero uma cidade governada pelo Fabiano, mas sim pelos estudantes e pelo povo”, acrescentou. Fabiano Horta afirmou, ainda, que ao ver a aglomeração de jovens reunidos no evento o fez repensar sobre o crime cometido contra a vereadora carioca Marielle Franco. “Vimos na semana passada a execução de uma mulher, jovem, que veio da favela e que lutava pelos direitos do povo. E, o que estou vendo aqui hoje, é que a luta dela não está morta. Temos que tornar a indignação por essa morte em instrumento de transformação e luta pela democracia”, declarou.

Também presente no evento, o ex-prefeito Washington Quaquá relembrou que foi o movimento estudantil que permitiu a mudança em sua vida. “Fui presidente do grêmio aqui no Joana numa época em que os pobres não podiam participar da discussão politica da cidade. E foi o movimento estudantil que abriu a possibilidade de tomar o rumo da cidade. E o que vemos hoje é todo esse processo se alargando e permitindo a efetiva participação do povo na construção de uma cidade melhor. E por isso a Umes tem um papel muito importante de empoderamento dos jovens. Maricá agora é uma cidade do povo”, afirmou.

O vice-prefeito Marcos Ribeiro fez questão de relembrar a época da ditadura. “O debate de ideias aqui hoje não seria possível. Certamente, a polícia já teria acabado com o evento. Nós temos que lutar sempre do mesmo lado e caminhar ao lado do povo. Considero que vocês, estudantes, não são o futuro do país. Vocês já são o presente”, declarou. Para a secretária de Educação, Adriana Luíza da Costa, é fundamental a participação dos alunos nos processos decisórios dentro da escola. “É necessário que tenhamos uma gestão democrática e participativa que tragam os estudantes para participar da construção das escolas que vocês desejam. Vocês têm que ser ouvidos”, declarou.

  O prefeito Fabiano Horta acompanhando as conversas numa sala de aula

Com o lema “Nas ruas, nas praças, quem disse que sumiu, aqui está presente o movimento estudantil, os estudantes ao longo do evento irão propor a discussão e debates que promovam a inclusão e participação de todos. Para a presidente da Umes, que é aluna do CIEP 341 do bairro de Inoã, Maria Cleivane Araújo Silva, representa os estudantes trazendo os anseios e a demandas dessa classe. “Temos que buscar a reorganização dos grêmios estudantis no município e reafirmar nossa força enquanto movimento que propõe um modelo de debate que começa dentro da sala de aula, mas vai muito além”, declarou a presidente.  Formada em 2015, a Umes é uma entidade de movimento estudantil que conta com a participação de mais de 30 grêmios do município composto por representantes de alunos das redes municipal, estadual e particular.

Também estiveram presentes na abertura da bienal os secretários municipais de Desenvolvimento Econômico, Comércio e Petróleo, Alan Novais; de Economia Solidária, Diego Zeidan; de Comunicações, Ciência e Tecnologia, Sérgio Mesquita; de Políticas Inclusivas, Sheila Pinto; de Educação, Adriana Luíza da Costa; e de Participação Popular, Direitos Humanos e Mulher, João Carlos de Lima (Birigu).

Secretário de Desenvolvimento Econômico e Presidente do PCdoB Maricá, Alan Novais

Secretário de Economia Solidária, Diego Zeidan

Secretário de Ciência, Tecnologia e Comunicações, Sérgio Mesquita

Secretário de Direitos Humanos, Participação Popular e Mulher, João Carlos (Birigu)

 

Notícias Relacionadas