Alex Bousquet “pede para sair” da Secretaria de Estado de Saúde

O último a sair apague a luz; Alex Bousquet entregou, nesta quinta (17), o cargo de secretário estadual de Saúde. Ele ficou apenas três meses no comando da pasta. Bousquet, que é coronel médico da ativa do Corpo de Bombeiros, voltará à corporação. Entretanto, responderá pela pasta até a nomeação de um novo secretário.

Ele é o terceiro secretário de Estado de Saúde que pede exoneração apenas nesta pandemia. Após a saída de Edmar Santos em 28/05, Fernando Ferry assumiu o cargo e pediu exoneração em 22/06.

Desde que assumiu, Claudio Castro tem promovido mudanças no secretariado do Governo do Estado. Foram, pelo menos, nove mudanças. Nos últimos dias, houve mudanças nas secretarias de Planejamento e Gestão; Polícia Civil; Educação; Ciência, Tecnologia e Inovação; Cidades; Trabalho e Renda; além das Procuradoria e Controladoria-Geral do Estado, e do Gabinete de Segurança Institucional.

Na Educação, o preso Pedro Fernandes foi exonerado. Claudia Lasry Martins responde interinamente pela pasta. Já na Polícia Civil, Allan Turnowski assumiu a vaga antes ocupada por Flávio Brito. A pasta de Ciência e Tecnologia será liderada pela professora universitária Maria Isabel de Castro de Souza, enquanto Uruan Cintra de Andrade assume a Secretaria de Cidades e responderá interinamente pela Secretaria de Estado de Trabalho e Renda.

Outra mudança, publicada no Diário Oficial do Estado desta quinta (17), traz mudança na Secretaria de Planejamento e Gestão; Bruno Schettini Gonçalves deixa o cargo e quem assume é José Luis Cardoso Zamith. Na Procuradoria-Geral do Estado, Bruno Dubeux substitui Reinaldo Silveira. No caso da Controladoria Geral do Estado, Hormindo Bicudo Neto deixou a função, que passa a ser ocupada por Francisco Ricardo Soares.

No Gabinete de Segurança Institucional, até então chefiado pelo contra-almirante José Luiz Corrêa, o delegado federal Marcelo Bertolucci é quem passa a comandar.

Cláudio Castro assumiu o governo em 28 de agosto, com o afastamento por seis meses do governador Wilson Witzel, de forma monocrática pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e, depois confirmada pelo plenário do STJ, por 14 votos a 1, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Castro já fez várias trocas de secretários na atual administração.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.