spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #72

spot_img
spot_imgspot_img

Billabong Pro Pipeline é adiada no Havaí e surfista saquaremense aguarda o retorno das ondas

spot_imgspot_img

Mais lidas

A segunda-feira (31) amanheceu com ondas pequenas para a continuação do Billabong Pro Pipeline e o primeiro day-off do ano foi decretado logo na primeira chamada do dia no Havaí. A próxima foi marcada para as 7h50 da terça-feira (1º) em Pipeline, 14h50 no Brasil. Se a etapa de abertura do World Surf League Championship Tour 2022 retornar, será transmitida ao vivopelo WorldSurfLeague.com.

O surfista saquaremense, João Chianca, o Chumbinho, compete na próxima sexta (04).

“A previsão indica que tem um novo swell (ondulação) a caminho, então não vamos ter competição hoje no Billabong Pro Pipeline”, disse Jessi Miley-Dyer, WSL SVP of Tours and Head of Competition. “Já fizemos as primeiras fases dos homens e das mulheres, então podemos esperar pelos próximos dois dias inteiros com as melhores condições para fechar o evento. Amanhã (terça-feira), vai ficar maior e teremos ondas boas no dia seguinte também, então vamos voltar aqui amanhã para fazer a chamada as 7h50, com um possível início as 8h02”.

O Billabong Pro Pipeline tem prazo até o dia 10 de fevereiro para ser encerrado. Se o próximo dia for iniciado pela categoria feminina, a primeira participação da “seleção brasileira da WSL” será na terceira bateria, com Tatiana Weston-Webb disputando classificação para as quartas de final com a havaiana Moana Jones Wong. Se começar pela terceira fase masculina, o primeiro brasileiro a tentar passar para as oitavas de final será o campeão olímpico Italo Ferreira, no duelo sul-americano com o peruano Miguel Tudela na quinta bateria.

Na sexta (04), tem Miguel Pupo contra o australiano Connor O`Leary e na oitava entra o primeiro surfista do Peru a fazer parte da elite masculina do CT, Lucca Mesinas, para enfrentar o californiano Kolohe Andino. Na nona bateria, o vice-campeão mundial Filipe Toledo abre a chave de baixo do Billabong Pro Pipeline com o havaiano Ivan Florence. Depois, tem João Chianca na 11.a com o australiano Jack Robinson, Caio Ibelli  na 13.a com o americano Griffin Colapinto e o 15.a e penúltima batalha por vagas nas oitavas de final será verde-amarela, entre Deivid Silva e um dos estreantes na “seleção brasileira” deste ano, Samuel Pupo.

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img