Brizola Neto pode deixar o PDT caso Garotinho não se filie ao partido

O ex-ministro do Trabalho, Brizola Neto, deve mesmo deixar o PDT. A reunião desta quinta-feira (08/03) do Diretório Nacional pode ser a última a testemunhar o discurso de um Brizola. No encontro, estará em pauta a volta ou não do ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, ao partido. Brizola vai condicionar sua permanência no PDT à filiação de, pelo menos, os dois filhos do governador: Clarissa e Wladimir. 

O presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, negocia as vagas do partido com mãos de ferro. Recentemente, filiou o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, que trouxe na bagagem o deputado federal Chico D’Ângelo. Lupi ainda tentou trazer Alessandro Molon que foi para o PSB, onde assumiu a presidência do partido no lugar do deputado federal Hugo Leal, que também se mudou para o PDT.

Brizolinha como é conhecido carinhosamente no meio político já teve conversas com o PT, que pretendia lançá-lo candidato a deputado estadual. No entanto, o político deve mesmo ficar onde Garotinho estiver, de preferência, fazendo dobradinha com Clarissa como candidata a deputada estadual e ele candidato a deputado federal.

Na semana passada, Brizola Neto participou de uma reunião de mobilização promovida por Garotinho com seus correligionários num hotel do Centro do Rio. No Rio, Brizola Neto é um último remanescente no PDT onde o avô, Leonel Brizola, fez história.

 

Notícias Relacionadas