spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #72

spot_img
spot_imgspot_img

Caso Marielle: Major Ronald e ex-assessor de Brazão são presos

spot_imgspot_img

Mais lidas

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta quinta-feira, dois mandados de prisão preventiva contra Robson Calixto da Fonseca, conhecido como Peixe, que é ex-assessor de Domingos Brazão, e o policial militar Ronald Paulo Alves Pereira, conhecido como major Ronald, apontado como ex-chefe da milícia da Muzema, na Zona Oeste do Rio. A dupla é acusada de envolvimento nos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018.

Ronald já cumpria pena num presídio federal em Mato Grosso do Sul, enquanto Robson foi preso pela Polícia Federal do Rio nesta quinta. Os mandados foram solicitados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Após um mês e meio de investigações da PF, a PGR concluiu que os irmãos Brazão e Barbosa devem ser processados e condenados pelo assassinato de Marielle e Anderson Gomes.

No documento, a PGR denuncia os irmãos Brazão como mandantes do homicídio e por participarem de uma organização criminosa. Já o delegado Rivaldo Barbosa foi denunciado também como mandante do homicídio.

Foto: Alerj, Abr/ Via Fotos Públicas

De acordo com a denúncia, a delação do assassino confesso, Ronnie Lessa, faz todo sentido sugerir que os irmãos Brazão estavam diretamente ligados na ordem de morte da Marielle e Anderson.

A PGR chegou a conclusão que através intermediários que participaram do crime, pelas circunstâncias e a narrativa do colaborador, Lessa se encontrou com os irmãos Brazão. O órgão informa que o ex-PM recebeu dos irmãos a promessa de recompensa financeira pelo assassinato da vereadora.

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img