Rio de Janeiro,

terça-feira, junho 22, 2021
spot_img

Leia a nossa última edição #37

Cerca de 200 profissionais da Educação já foram vacinados em Maricá

Mais lidas

Estima-se que apenas nos dois primeiros dias da ação (31/05 e 01/06), aproximadamente 200 agentes da Educação já teriam sido vacinados em Maricá. Os profissionais atuantes na rede pública e privada de ensino estão incluídos no grupo especial “Trabalhadores da Educação” – grupo destinado a vacinação contra a Covid-19.

 “É muito bom estar em um município que tem conseguido nos proporcionar a vacina mesmo com toda dificuldade para a aquisição da mesma”, disse Marcos Nascimento, de 50 anos, vigilante da Universidade de Vassouras, no Flamengo. “A sensação de ser vacinado é muito boa e nos deixa mais tranquilos mesmo sendo apenas a primeira dose”, completou. “E, para os que ainda têm alguma dúvida em relação a tomar ou não a vacina, só posso pedir que acreditem na ciência e que tenham consciência da importância de se imunizar. Vacina salva vidas”, frisou o vigilante.

O também vigilante, Ronaldo Manhães Coutinho, de 55 anos, afirmou que tomar a primeira dose da vacina é um alívio.

“Nós vigilantes trabalhamos em contato direto com professores e alunos, estamos todos expostos e receber a primeira dose dessa vacina é um alívio, é uma felicidade indescritível”, disse Ronaldo. “Minha esposa teve Covid logo no início da pandemia, mas graças a Deus foi bem fraquinha e ela se curou. Agora não vejo a hora dela também tomar a vacina, mas enquanto isso não acontece, vamos continuar mantendo os cuidados necessários”, completou.

Sensação de alívio também sentiu Márcia da Silva, de 53 anos, funcionária de serviços gerais da Escola Professora Zilca Lopes da Fontoura, no Centro, local onde tomou a primeira dose da vacina contra Covid-19.

“Trabalho tendo contato com muita gente o tempo todo e não estava segura nem mesmo para sair de casa, afinal tenho uma mãe idosa que mora comigo, mas agora que fui vacinada estou um pouco mais aliviada”, contou Márcia. “Não tive nenhum caso de Covid na família e nem com pessoas próximas e torço para que todos consigam se vacinar. Enquanto isso não acontece é necessário que todos sigam sendo cuidadosos. Já estou ansiosa para tomar a segunda dose”, confessou.

“É muito importante a vacinação de todos os trabalhadores da educação porque temos contato com toda a comunidade escolar”, justificou  Claudia Maria Rangel, de 50 anos, inspetora de alunos no Centro Educacional Joana Benedicta Rangel, no Centro.  “Hoje estou me sentindo mais aliviada, mais segura, mais esperançosa e na expectativa pela segunda dose. Tive uma perda muito próxima, a mãe da minha cunhada faleceu”, contou. “Essa pandemia me afetou diretamente e a única forma de nos sentirmos mais seguros, com menos medo é tomando a vacina”, finalizou.

De acordo com a Secretaria de Saúde, o objetivo estratégico de imunização dos profissionais de Apoio à Educação é acelerar a imunização desse grupo prioritário para um possível retorno às aulas. A ação de vacinação desses profissionais deve acontecer até a próxima sexta-feira (04/06), exclusivamente na Escola Municipalizada de Inoã, situada na Rodovia Amaral Peixoto, km 17,0 – Inoã) e no Campus de Educação Pública Transformadora (CEPT) Professora Zilca Lopes da Fontoura, na Rua Barão de Inoã, 137, Centro.

No ato da vacinação, é necessário, tanto para o professor, como para profissionais de apoio à Educação, apresentar a identificação profissional ou contracheque ou recibo de pagamento de escola, colégio, curso ou universidade da rede pública ou privada de Maricá; constar na relação de profissionais informada pelas escolas, colégios, cursos, e universidades da rede pública e privada do município, constando nome e função. Para os demais grupos basta apresentar documento de identidade com foto, CPF e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), quando tiver.

spot_img

Últimas noticias