Chuva provoca transtornos no Retiro e em outros pontos da cidade

Divulgação

Divulgação

Moradores do bairro do Retiro, especificamente da Estrada Camburi, sofrem com um alagamento causado pelas chuvas que atingiram a cidade de maricá entre a tarde de terça-feira e a madrugada desta quarta-feira. Agentes da prefeitura estão no local realizado intervenções na tentativa de escoar a água. Pelo menos 20 residências foram afetadas diretamente.

Equipes da Autarquia Serviços de Obras de Maricá (Somar) estão na localidade com retroescavadeiras.

Os alagamentos também foram vistos no Centro da cidade. A Rua Rodrigo do Amparo Rangel voltou a registrar um acúmulo de água, como ocorreu no fim de março, e foi a que mais deu trabalho à equipe da autarquia de Serviços de Obras de Maricá (Somar), que levou novamente bombas de sucção para retirar o alagamento. De acordo com a empresa, para resolver o problema na região será preciso fazer uma galeria com aproximadamente 500 metros de comprimento, que será ligada ao rio Mumbuca.

Também no Centro houve bolsões de água pontuais que drenaram rapidamente e parte do muro da entrada de um condomínio desabou. Em Jacaroá, outro muro de contenção também ruiu. Por toda a cidade, não foram registrados transbordamentos de rios e canais, que recebem ações constantes de limpeza em seus leitos e margens.

A situação mais grave foi registrada no loteamento Recanto 3, conhecido como ‘Mato Dentro’, em Itaipuaçu. Ao menos duas famílias tiveram de deixar suas casas em razão da enchente e foram para as casas de vizinhos e parentes próximos. Uma equipe da Somar esteve no local para tentar melhorar a vazão da água, mas o volume de água vindo da Serra da Tiririca foi grande. As ruas em pior estado eram parte da Rua Antônio Modesto de Sá (antiga 20) e as ruas 22, 25, 9 e 10.

Para as próximas horas, chuva prevista para Maricá é de fraca a moderada e deve ter por volta de 25 milímetros. A Defesa Civil Municipal recomenda que os moradores não fiquem em áreas que possam representar risco. “É importante evitar sair de casa e procurar sempre um local seguro. Nossas equipes estarão de prontidão através do telefone 199”, reforçou o coordenador geral da Defesa Civil, coronel Edson do Amaral.

 

Notícias Relacionadas