Ciclo de Conversa sobre Teatro, Protagonismo e Direitos Humanos termina nesta segunda (15)

Foto: Divulgação

Arte faz Parte realiza Ciclo de Conversa sobre Teatro, Protagonismo e Direitos Humanos com profissionais de diversas áreas do conhecimento artístico e plateia composta exclusivamente por pessoas com deficiência visual e em situação de rua (estritamente reduzida pela pandemia).

Abordando a cultura de forma intrínseca, a atividade, que acontece até esta segunda-feira (15), entre 19h e 20h de forma virtual e propõe aos participantes um exercício de reflexão sobre a relação da arte e da cidadania.

De acordo com Victor Meirelles, ator, negro e periférico – como ele mesmo faz questão de se apresentar.

“A ideia é uma ampliação dos horizontes da arte-educação que reflete na vida social e profissional, entendendo que a trajetória humana é baseada em suas relações e reforçando a plena importância da arte do teatro como mecanismo facilitador e ferramenta para um bom diálogo, interação social e a forma como nos comunicamos”, disse.

O ciclo de conversa conta com profissionais de diversos campos e áreas do conhecimento, dialogando a partir das suas vivências, experiências sociais, profissionais e humanas, sobre os recortes temáticos: arte, teatro, protagonismo, direitos humanos e suas respectivas relações efetivas com a importância do fazer artístico na realidade que atravessa a sociedade diariamente.

De acordo com o mediador Victor, o resultado pretendido com o Ciclo de Conversa vai muito além do encontro com a arte, pura e simplesmente. Propõe a possibilidade do desenvolvimento social, intelectual e profissional, através da prática do protagonismo, autoria, lugar de fala, diálogo, produção, criação, pesquisa, promoção da leitura, reflexão, oficinas e intervenções culturais.

“Por meio das atividades culturais com abordagem nas temáticas da cidadania, dos direitos humanos e de vivências específicas desse participante, é possível construir cenas a partir de questionamentos de seu lugar e ponto de vista, propondo a interculturalidade, desenvolvendo o pensamento crítico desse participante e promover também dessa forma contribuição do bem estar desse indivíduo”, ressalta o mediador.

 

Apresentação e Mediação

 

Victor Meirelles – Artista, Arte Educador e ativista cultural, com atuação internacional, formado em arte educação pela Escola do Olhar – MAR, Licenciado em Letras pela UNESA, estudou Teatro na CAL, UCB, FETAERJ, é integrante do Projeto Renato Prieto de Teatro e do Contra Bando de Teatro, Palestrante e Escritor, com atuação no SESC, SENAC, SESI e em projetos de impacto social em escolas, instituições de educação e arte em todo Brasil. É fundador da Arte faz Parte Produções em Arte Educação Negócio de impacto social, está atualmente como professor de teatro no Instituto Corpo Tátil e voluntário no Coral Uma Só Voz.

 

Participantes das Mesas

 

Tati Bandão – Mentora e treinadora de líderes. Palestrante, educadora e empreendedora social com foco na emancipação da mulher negra. Mestranda de Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

 

Wanderson Lemos – Autodidata na música começou com um instrumento emprestado e este já era o início de uma promissora carreira do músico de incansável criatividade e talento, que se tornou hoje, com 5 discos lançados, seu próprio selo musical (Crioula Fonográfica), diversos clipes e carreira internacional.

 

Mychelle Alves – Pesquisadora em Saúde Pública da Fiocruz e Presidente do Sindicato dos trabalhadores da Fiocruz (Asfoc-SN). Graduação em Química Industrial pela UFF, Mestre e Doutora em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos pela UFRJ. Atualmente Chefe do Laboratório de Medicamentos, Cosméticos e Saneantes do INCQS/Fiocruz. Militante e ativista pela saúde pública, movimento negro, feminismo e direitos humanos.

 

Integrante do Coral Uma Só Voz – Pessoa em situação de rua que participa como coralista.

 

Jorge Moreno – Cearense radicado no Rio de Janeiro desde de 1974, Locutor desde 1988, radialista desde 2000, voluntário em projetos de educação pela comunicação em Escolas do Rio de Janeiro e Minas Gerais entre 2004 e 2012, Coordenador da plataforma escolfm de educação e comunicação, Professor de locução e produção de áudio do projeto rádio atividade da escola de rádio web e tv e Estudante de Marketing Digital pela UNOPAR.

 

Elisângela Bandeira – Pedagoga, Especialista em Gestão Social, Educação Popular e Desenvolvimento Comunitário, Analista de Projetos Sociais Sesc – Unidade Niterói e CEO – Tribus Agência Social.

 

Clementino Junior – Cineasta, educador audiovisual, doutorando em educação (GEASur/UNIRIO) e fundador do CAN – Cineclube Atlântico Negro

 

Ricardo Branco – Graduando em Ciências Sociais, Diretor musical do projeto “Uma Só Voz no Brasil e ao longo de anos desenvolveu uma série de trabalhos em música voltados para pessoas à margem da sociedade, utilizando música como uma ferramenta para desenvolvimento de autoestima, confiança e senso de comunidade;

 

Marlíria Flávia – Formada em Letras (português-literatura) e em Artes Cênicas pela Uni-rio. Pós-graduada em Alfabetização de deficientes visuais (Uni-rio/Ibc) e mestre em Diversidade e inclusão (UFF). Professora aposentada do Instituto Benjamin Constant, aonde trabalhou por 25 anos. Diretora do grupo corpo Tátil e presidente do instituto Corpo Tátil.

Felipe Black – Ator, cantor, tecladista e compositor e cego. Já na infância, atuou em peças como: Alto da Compadecida, O Mágico de Oz, Volúpia da cegueira do diretor Alexandre Lino e outras. Fez sua estreia nos cinemas em um curta chamado Cavalo Sem Cela do diretor Nathanael Carvalho. Faz parte do Grupo Corpo Tátil desde o início em 2015. Atualmente com o seu projeto no youtube onde compartilha suas músicas autorais.

 

Daniele Bernardino – Pedagoga, Mestre em Educação, estudante de Jornalismo e porta-voz da Flup – Festa Literária das Periferias.

 

Maria Da Cruz – Psicóloga social de alta complexidade com população em situação de rua, experiência com grupo de dependência química, Gestora em unidade de reinserção social, formação Reichiana com atendimentos clínicos em adolescentes, adulto e idoso, para resgatar a capacidade vital de si mesmo e com o outro.

 

Serviço: Data: 15 de março

Horário: 19h a 20h

Local: Online (Através de plataforma virtual com link disponibilizado para os inscritos)

Inscrição: https://forms.gle/HJWTtQBVAc4ZU4a96

 

 

Notícias Relacionadas