spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #72

spot_img
spot_imgspot_img

Concurso Nacional Unificado será adiado; entenda

spot_imgspot_img

Mais lidas

A colunista do jornal ‘O Globo’ Vera Magalhães divulgou, nesta sexta (03), que o Governo Federal vai anunciar nas próximas horas o adiamento do Concurso Nacional Unificado (CNU), popularmente apelidado de “Enem dos Concursos”. A medida acontecerá por conta da situação catastrófica no Sul do país.

Pela manhã, o ministro-Chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Paulo Pimenta, havia dito que um possível adiamento das provas apenas no estado do Rio Grande do Sul poderia ser anunciado ainda nesta sexta.

No entanto, segundo a informação de Vera, havia dúvida sobre a viabilidade técnica do adiamento das provas apenas no estado gaúcho. O motivo é justamente a realização do CNU pela primeira vez. Ou seja: não há um banco de provas como o Exame Nacional do Ensino Médio, que tem mais de 20 anos. Garantir a mesma dificuldade nas provas aplicadas para o restante do país, neste domingo (05), e para o Rio Grande do Sul, em data à definir, não seria possível – o que aumenta o risco de judicialização do pleito.

“A possibilidade de adiamento do concurso tem um custo de R$ 50 milhões. São mais de 2,5 milhões de inscritos em todo o país. A princípio, a ideia de suspender o concurso só para o Rio Grande do Sul, do ponto de vista jurídico, é muito questionável. Outra hipótese que existiria é a suspensão total do concurso. A não ser que haja alguma decisão judicial nesse sentido”, disse Paulo Pimenta.

Na noite de quinta-feira o governo chegou a confirmar a realização das provas em todo o país conforme o previsto. Em nota, afirmou que faria todos os esforços para garantir a participação dos candidatos do Rio Grande do Sul. A questão, no entanto, ainda está em debate.

“O que estou afirmando é que nós vamos buscar segurança jurídica porque alguém poderia me perguntar: deve ser judicializado para que não ocorra prova no Rio Grande do Sul? É muito provável [que aconteça]. Como é provável que seja judicializado em outros estados para garantir que a prova ocorra. Não podemos levar o concurso para uma insegurança jurídica. Vamos tomar uma decisão consolidada no decorrer das próximas horas para garantir a tranquilidade e a segurança jurídica necessária para todas as pessoas que vão participar desse certame”, garantiu o ministro.

De acordo com o ministro, 86 mil inscritos no Concurso Unificado são do Rio Grande do Sul. Ao todo, 10 cidades gaúchas vão ofertar as provas. “Algumas dessas cidades não estão em áreas em situação de emergência e não estão com impedimento de acesso”, disse. Ainda segundo ele, dos 86 mil inscritos no estado, 21 mil estão fora de cidades onde vai acontecer a prova e 6 mil estão em municípios em situação de emergência ou sem acesso a cidades onde ocorrerá a prova.

Boletim da Defesa Civil do Rio Grande do Sul divulgado na manhã desta sexta-feira contabiliza 31 mortes em decorrência das chuvas em todo o estado. Há ainda 74 pessoas desaparecidas e 56 feridos. Até o momento, 235 municípios foram afetados pelos temporais, totalizando 351.639 pessoas afetadas. Dessas, 17.087 estão desalojadas e 7.165, em abrigos. Os números, de acordo com o governador Eduardo Leite, devem subir ao longo dos próximos dias.

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img