Deputado preso por ameaçar STF também enviou mensagem com o mesmo comportamento ao prefeito de Niterói

Foto: Reprodução Tv Globo

As polêmicas envolvendo o deputado federal Daniel Silveira (PSL), preso em flagrante na noite desta terça-feira (16/02), em Petrópolis, por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, não acabam por aí.

Nesta quarta-feira (17), o plenário do STF confirmou, em voto unânime, a prisão do parlamentar. Em seguida, a Procuradoria Geral da República denunciou Daniel Silveira.

O prefeito de Niterói, Axel Grael, também foi às redes sociais revelar o que ele chama de “ameaça” (veja a publicação) feita pelo deputado há cerca de três dias.

“Há três dias recebi uma ameaça desse deputado federal. Nesta terça-feira ele foi preso por ameaça contra ministros do Supremo, com conteúdo quase igual ao que escreveu para mim. Esse tipo de comportamento é inadmissível. Estou sempre aberto ao diálogo republicano e seguirei defendendo a democracia, os poderes e as instituições. Já estou em conversa com meu advogado para processar o cidadão e reforçar que esse tipo de atitude precisa ser combatida. Precisamos trazer a reflexão para a sociedade sobre esse tipo de postura violenta de pessoas que ameaçam a integridade física daqueles que divergem de seus pensamentos. Isso precisa acabar. Que a justiça seja feita”, escreveu Axel.

No início da noite, seis partidos (PT / PSB / PDT / PCdoB / PSOL e Rede) confirmaram que apresentaram uma representação junto ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados pedindo a cassação de Daniel Silveira por quebra de decoro parlamentar.

Aliado do presidente Jair Bolsonaro, Silveira foi preso após ter divulgado um vídeo no qual fez apologia ao Ato Institucional 5 (AI-5), instrumento de repressão mais duro da ditadura militar, e defendeu a destituição de ministros do STF. As reivindicações são inconstitucionais.

 

Notícias Relacionadas