Leia a nossa última edição #73

spot_img
spot_imgspot_img

“É só dar uma oportunidade ao favelado que a gente faz acontecer”, diz jovem que sonha em ir no mundial de Jiu-jitsu, no Catar

spot_imgspot_img

Mais lidas

Assim como qualquer pessoa, o jovem Daniel Andrade tem um sonho. Desde criança, o lutador de 19 anos sonha em disputar para o Mundial de Jiu-Jitsu. Por conta disso, ele e o seu amigo, Luiz Felipe Araújo, de 15 anos, circulam as ruas do Centro de Niterói para vender amendoim em busca do objetivo.

Com atualizações sobre a sua rotina, Daniel tornou-se um fenômeno nas redes sociais. Atualmente, o jovem conta com cerca de 9.100 seguidores no Instagram. O ErreJota Notícias conversou com exclusividade com ele e o seu amigo, que falaram sobre a trajetória e a expectativa para o futuro.

“Eu comecei com o sonho de ser um grande lutador e ao decorrer do tempo, as coisas vieram crescendo. Hoje eu tenho a minha conta no Instagram e a partir dali, pude perceber que era isso que eu queria pra mim e para a minha vida”, revelou Daniel, que já disputou outros campeonatos.

Daniel conta ainda do apoio incondicional de sua mãe e da inspiração profissional em Leandro Lo, ex-lutador que foi morto a tiros em agosto do ano passado, em São Paulo. “Eu tenho duas inspirações, uma delas é a minha mãe, que sempre vem me apoiando, ela ficou até de madrugada comigo fazendo cartas, se preocupando comigo pra me vir pra rua. Outra grande inspiração, no profissional, é o Leandro Lo, eu me inspirava demais no cara para aprender as posições que ele passava, e infelizmente não tive a oportunidade de conhece-lo pessoalmente”, relatou.

Daniel em ação no campeonato de Jiu-jitsu no Estádio do Morumbi, em São Paulo – Foto de Arquivo/Redes Sociais

“Quando ele começou com esse esporte aí novinho, acho que foi com 7, 8 anos, já via ele muito dedicado. Muita gente da família e falou que ele não chegaria longe e hoje já está aí. Tem mais de 20 de medalhas e pra mim é um exemplo da família. Hoje em dia estamos vendo a correria dele pra disputar esse mundial que ele quer. Vejo ele como um exemplo”, contou Marcos Luiz Teixeira, tio de Daniel.

A nossa equipe também conversou o Luiz Felipe. Ele conta que ao contrário do amigo, não pretende ser atleta e que o intuito é apoiá-lo. “Eu não tinha muito conhecimento sobre a modalidade e foi através do Daniel que eu conheci o jiu-jitsu. Ao contrário dele, eu não quero ser lutador, eu quero servir as forças-armadas. O meu objetivo é ajudar ele e ver ele conquistar o sonho que ele tanto deseja”, ressaltou.

Daniel ao lado do amigo Luiz Felipe – Foto de Gabriel Ferreira

Nas redes sociais, Daniel e seu amigo tem feito rifas para ir em busca do mundial. Atualmente, o lutador conta com o patrocínio da Barbearia Gallo Man, recém-inaugurada no Shopping Bay Market, em Niterói, e que conta com filiais em outros lugares do Brasil.

“A gente da barbearia fica muito feliz em patrocinar o Daniel, queremos que outros jovens como ele sejam bem sucedidos na carreira que eles desejam seguir”, disse Ana Claúdia Ribeiro, gerente do empreendimento.

Daniel ao lado do tio e da gerente da Gallo Man, sua patrocinadora – Foto de Gabriel Ferreira

De origem humilde, Daniel conta que carrega uma frase consigo: “É só dar uma oportunidade ao favelado que a gente faz acontecer”.

*Estagiário sob a supervisão de Raquel Morais

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img