Ecodraga de alunos da Escola Firjan SESI São Gonçalo conquista Prêmio Marinha do Brasil

Dedicação, esforço e comprometimento são as chaves que três jovens alunos da Firjan SENAI SESI usaram para abrir caminho e alcançar o 1º lugar na categoria Mentalidade Marítima, do Prêmio Marinha do Brasil, na 19ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), com a construção de uma “Ecodraga – uma alternativa para o lixo flutuante”, movida a energia solar.

Rafaela Pessanha de Freitas, Daniel Caruso Melo Roquette Couto e Carlos Eduardo Veras Keller, da unidade de São Gonçalo, explicaram que pesquisaram o assunto profundamente para colocar a “Ecodraga. O prêmio reconheceu a qualidade da coletora de lixo movida a energia solar, desenvolvida para revitalizar a Praia das Pedrinhas, em São Gonçalo, na Baía de Guanabara. Essa vitória estimulou os jovens, que em 2020 foram instigados a criar algo ligado à ecologia e à mudança de realidade.

Com apoio da Firjan SENAI SESI, os premiados trabalham agora na produção de um protótipo, com o objetivo de patentear o projeto e buscar patrocinadores. Para isso, a escola já disponibilizou o FabLab (laboratório de fabricação digital) da Firjan SENAI. Marcília Picanço, coordenadora da Escola Firjan SESI São Gonçalo, destacou que vai dar suporte para a construção do protótipo, porque a instituição acredita no trabalho de cunho social e ambiental.

“Esse prêmio pioneiro pode servir de inspiração para outras escolas seguirem o nosso direcionamento estratégico de trabalhar com projetos científicos”, avaliou.

Aline Farias, professora de Química da unidade e uma das orientadoras do grupo, reconheceu o comprometimento e a dedicação dos alunos, evidenciados em todo o material produzido e apresentado na feira, como o trabalho realizado no artigo científico e no nível do protótipo da ecodraga.

“Tudo isso reforça o compromisso da instituição com a qualidade da educação”, enfatizou.

O resultado do concurso já começou a fazer história e a contagiar a escola. Segundo Valéria Filgueiras, professora de Matemática e também orientadora dos jovens, até alunos das primeiras séries já estão interessados em participar de outros projetos.

“O prêmio significa um reconhecimento, porque a gente vê que está fazendo um trabalho diferenciado”, assinalou.

Ricardo Pereira, gerente de Operações Leste Fluminense, disse que o prêmio conquistado em uma feira muito bem reconhecida no cenário de educação básica “incentiva a continuidade por essa postura de aprender, buscar o novo e sonhar grande”.

Notícias Relacionadas