Editorial: eleições em São Gonçalo; uma análise e os ataques

A campanha pra prefeito em São Gonçalo virou um território sem lei na internet. Com festivais de Fake News, a população parece já ter construído seu pensamento com relação a quem votar.

De um lado, Dimas Gadelha (PT) candidato apoiado pelas vitoriosos nas eleições 2020, Fabiano Horta (PT) e Rodrigo Neves (PDT), atuais prefeitos de Maricá e Niterói, respectivamente, destacou um núcleo de sua campanha apenas para cuidar na Justiça das acusações feitas pelo adversário, muitas delas sem nenhum tipo de fundamento.

Dimas conta ainda com o apoio de Washington Quaquá (PT), ex-prefeito de Maricá que, através de um projeto político, venceu as eleições de Itaboraí com o candidato Marcelo Delaroli (PL) derrubando velhas raposas da política local. Axel Grael (PDT), prefeito eleito em Niterói no primeiro turno, também engrossa o caldo de apoiadores.

O candidato do Avante, Capitão Nelson, também vem angariando aliados. Ele tenta nacionalizar a disputa e conquistar os votos dos evangélicos. Mas Dimas também recebeu o apoio de boa parte da comunidade cristã.

Roberto Sales (PSD), candidato derrotado, declarou apoio ao Capitão que também recebeu apoio de personalidades políticas que tiveram seus projetos derrotados nas eleições de 15 de novembro, como o deputado federal Carlos Jordy (PSL).

No campo das propostas, Capitão Nelson deixou de lado a campanha propositiva para tentar manchar a reputação do adversário distribuindo algumas ‘fake news’ já retiradas do ar pela Justiça. Enquanto isso, Dimas ganha as ruas diariamente com suas carreatas ao lado de Marlos Costa (PDT) seu vice e de apoiadores dos mais diversos partidos. As propostas de Dimas são mais fáceis de conhece-las, o que não quer dizer que serão fáceis de ser executadas se for eleito prefeito.

Ao final, o que resta ao eleitor de São Gonçalo é avaliar o passado de cada candidato, o que ele fez pela cidade e a capacidade de articular apoios para uma administração mais coerente e desenvolvimentista da cidade.

A população clama por coleta de lixo, rede de esgoto, saúde de qualidade, transporte e segurança. No domingo, dia 29, o que será escolhido é o projeto que mais se aproxima desses eixos.

Notícias Relacionadas