Eduardo Paes: “A Lava-Jato não prende ninguém em Maricá”

Foto: Agência Brasil

Em entrevista ao podcast “Tá na Hora”, o ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes voltou a falar de Maricá. O pré-candidato a retornar à Prefeitura do Rio, tentou explicar o porquê citou Maricá em conversa telefônica com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que estava grampeada e teve o sigilo retirado à época.

“Vocês já viram alguma operação da Lava-Jato em Maricá? ‘Prenderam um cara que roubou R$ 400 milhões e tá escondido em uma mansão em Maricá’; não rola. O cara vai comprar uma casa em Angra [dos Reis], uma lancha, uma ilha. Toda hora uma operação em Angra, em outros lugares, mas em Maricá você não vê operação. (…) [Maricá] é uma coisa de classe média, não de ladrãozão”, afirmou Paes.

O político, que se articula para concorrer à prefeitura da capital Fluminense pelo DEM, citou o prefeito Fabiano Horta e o ex-prefeito Washington Quaquá ao explicar o motivo de lembrar da cidade da Região Metropolitana na conversa com Lula.

“Sei lá porquê eu falei de Maricá. Falei de onda. É porque a filha do Lula mora em Maricá, a Lurian, que trabalha lá com o Quaquá e o Fabiano. Acho que foi por isso que veio Maricá na minha cabeça. Eu até hoje tento descobrir porque eu falei de Maricá”, contou. Vale lembrar que Horta foi secretário durante o governo de Paes no Rio e recebeu o amigo durante a corrida eleitoral de 2018, em que Eduardo foi candidato a governador do estado.

Eduardo Paes considera a questão já apaziguada e voltou a fazer piada. “Quando deu a prisão do [Fabrício] Queiroz em Atibaia, eu falei: ‘tá vendo? Eu avisei para o Lula que o melhor era Maricá, não era Atibaia’”, contou. “Se meu crime é Maricá, tá tudo certo”, disse.

Notícias Relacionadas