Em tom alarmista, secretário estadual de Saúde fala em “parar” o Estado

Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil

Um áudio enviado pelo secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, a médicos, dá conta de mais medidas que serão tomadas a partir desta segunda-feira (16). “As medidas suspendem as férias de qualquer profissional de saúde no período em que enfrentaremos. Suspendem também as cirurgias eletivas, com exceção de cardíacas e oncológicas, e bloqueia os leitos para internação de doentes com a Covid-19”, diz. Ele também apela aos hospitais privados que sigam a mesma orientação.

Visitas hospitalares serão restringidas, com apenas uma visita em dias alternados e ao longo do dia. Em casos de pacientes com o Coronavírus, elas serão suspensas. Normas para asilos, presídios e Degase também serão baixadas a fim de evitar que esses públicos sejam acometidos pela doença.

A obrigatoriedade de idosos realizarem a retirada de seus medicamentos pessoalmente na RioFarmes também foi retirada. Agora eles poderão enviar um representante para realizar essa busca.

Já nos casos dos profissionais de saúde que estiverem com a suspeita da doença serão submetidos à testagem de imediato e, em caso negativo, eles retornarão imediatamente para os postos de trabalho.

“Ou paramos o Rio de Janeiro agora, ou nos cobrarão os custos das mortes que virão. Os médicos tremerão, ou melhor, já estão tremendo. Não temos como fugir do enfrentamento dessa luta. A situação é grave. Provavelmente nos faltarão mais recursos humanos do que materiais e precisamos do engajamento de todos, corajosamente, para enfrentarmos, talvez, a primeira pandemia que essa geração conheceu”, finaliza o áudio.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.