Rio de Janeiro,

terça-feira, setembro 28, 2021
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #40

Exame que tirou Tandara da final olímpica foi realizado em Saquarema

Mais lidas

A coleta do material biológico que tirou a oposta Tandara da final dos jogos olímpicos de Tóquio foi colhido em Saquarema, onde a seleção fazia treinamentos para a principal competição do ano. O teste foi realizado no último mês, quando as atletas da seleção brasileira se preparavam no Centro de Desenvolvimento do Vôlei.

A constatação da presença da substância proibida ostarina foi divulgada pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) nesta sexta-feira (6). A entidade informou que o teste antidoping foi feito em 07/07.

O Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD) confirmou, nesta quinta (5), a presença da substância anabolizante ostarina. Em caso de constatação da substância, há a aplicação obrigatória de uma suspensão provisória.

Tandara foi desligada da seleção de vôlei feminino na própria quinta, horas antes da semifinal da Olimpíada, em que o Brasil venceu a Coreia do Sul por 3×0, nesta sexta-feira (6).

Em nota, o advogado da atleta Marcelo Franklin lembrou que a contraprova ainda não foi analisada. “Não se afigura razoável qualquer pré-julgamento de uma atleta íntegra, sem quaisquer antecedentes e que há anos contribui para as conquistas do voleibol”.

Segundo a ABCD, a ostarina é uma substância pertencente à classe de agentes anabolizantes, que são proibidos em competição e fora de competição pela Agência Mundial Antidopagem (AMA-WADA).

spot_img
spot_img

Últimas noticias