Rio de Janeiro,

quinta-feira, junho 30, 2022
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #49

Fake News e negacionismo são temas de palestra para alunos de Maricá

Mais lidas

40 estudantes do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental, 3° ano do Ensino Médio e alunos de graduação da Universidade de Vassouras (campus Maricá) assistiram, nesta quarta (30), à palestra “Negacionismo e Fake News como base para o movimento antivacina”. Organizada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Comunicações, o evento também teve uma roda de conversa.

O ciclo de palestras aconteceu no auditório do Banco Mumbuca, no Centro, para conscientizar os jovens da cidade sobre a importância da vacinação contra a Covid-19, apresentando também mecanismos de checagem de informações falsas. O evento teve como objetivo prioritário a formação cidadã da população maricaense.

“Com esse evento, buscamos identificar o quanto o processo de vacinação em Maricá foi afetado pelas fake news e o movimento antivacina. Em outra frente, buscamos conscientizar esses jovens sobre a importância da imunização e as ferramentas que Maricá utilizou no enfrentamento da pandemia. Espero que as palestras fortaleçam esse processo e que os presentes levem os conhecimentos para suas casas”, afirmou Marcos Ribeiro, secretário de Ciência, Tecnologia e Comunicações.

As palestras tiveram início com Thiago Lisboa, especialista em Gestão da Educação e professor na Escola Municipalizada de Inoã. Com uma linguagem acessível à juventude, Thiago falou sobre a origem da palavra “ciência”, os processos que envolvem as pesquisas científicas e o que é o senso comum.

Depois, foi a vez de Rodrigo Ribeiro, doutorando em Comunicação na Universidade Federal Fluminense (UFF), falar sobre teorias da conspiração e desinformação nas plataformas online.

O médico Marcelo Velho, subsecretário de Ensino e Pesquisa da Secretaria Municipal de Saúde, finalizou o evento com uma palestra ressaltando os mecanismos de enfrentamento à pandemia em Maricá, como a abertura do Hospital Dr. Ernesto Che Guevara, as tendas de atendimento especializado àqueles com sintomas de Covid-19 e a oferta de testes para a doença nas Unidades de Saúde da Família (USFs).

“Achei muito importante poder participar desse ciclo de palestras. Já me vacinei e poder ouvir doutores, estudiosos e professores falando sobre a importância da vacinação esclarecem todas as dúvidas que possam surgir. Minha família toda está imunizada e eles vão adorar saber que eu estive nesse evento”, ressaltou a estudante do 8º ano no Centro de Educação de Maricá (CEM) Joana Benedicta Rangel, Yasmin da Rosa.

Já Ingrid Beatriz Oliveira, de 14 anos, disse que ter a oportunidade de assistir ao ciclo de palestras é uma forma de combater fake news, além de lembrar a população de se vacinar. “Essas palestras são muito necessárias. Pudemos aprender como não cair em notícias falsas da internet e a importância de tomar todas as doses da vacina, se cuidando e pensando na vida daqueles que estão próximos da gente”, concluiu.

spot_img
spot_img

Últimas noticias