spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #70

spot_img
spot_imgspot_img

Família aguarda a liberação do corpo do bebê morto em Niterói

spot_imgspot_img

Mais lidas

No início desta segunda-feira (26), a família do bebê morto após uma batida entre dois veículos no dia 24, véspera do Natal, foi chamada ao Instituto Médico Legal (IML) para liberar o corpo da criança.

A equipe do Errejota Notícias conversou com Cindy Andrade, tia do bebê. A comerciante de 23 anos relatou que o motorista do carro que bateu no veículo onde a família estava, agiu normalmente no momento do acidente.

“A questão é que a justiça não foi feita. A pessoa que fez isso tudo saiu pela mesma porta que o meu cunhado. Ele bebeu sete chopes e ele falou isso no local do acidente”, conta.

Cindy diz também que o homem possui uma ficha criminal que conta com um homicídio também por direção por embriaguez e uma anotação pela Lei Maria da Penha. “Ele foi solto de novo. Acabou o nosso Natal. Acabou a vida do meu sobrinho. Ele foi muito esperado por nós, meu primeiro sobrinho e primeiro filho da minha irmã e do meu cunhado. Não sei explicar nem o que estou sentindo!”, lamentou muito emocionada a vendedora.

O sepultamento da criança será no Cemitério São Gonçalo, no bairro do Camarão, às 14h.

Relembre o caso

O acidente ocorreu na véspera de Natal, no último dia (24). A família havia acabado de sair de uma loja no Shopping Itaipu Multicenter, na Região Oceânica de Niterói.

A família relata que andava em cerca de 30 km/h pela pela Estrada Francisco da Cruz Neves, quando sentiu um forte impacto. O carro que levava o bebê e a mãe foram arremessados contra uma parede.

A criança estava na cadeirinha no banco de trás, chegou a ser levada para ao Hospital Municipal Mário Monteiro, na Região Oceânica, e em seguida, foi encaminhada para o Hospital Getúlio Vargas Filho, o Getulinho, no Fonseca. O recém nascido não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

A mãe da criança também foi levada para o hospital após ser encontrada com ferimentos. Ela levou vinte pontos na cabeça e em seguida foi liberada. O motorista causador do acidente teve atendimento na mesma unidade de saúde.

“Estávamos no saguão do hospital esperando notícias da minha irmã e do meu cunhado. O pai do motorista entrou no hospital, junto com a polícia, e queria saber informações do filho dele. Ele foi debochado com a gente. Não veio falar conosco. Começamos a discutir e a polícia afastou ele da gente”, relatou Cindy.

O caso foi registrado na 81ª DP em Itaipu. A identidade do suspeito não foi revelada.

Polícia Civil

De acordo com a Polícia Civil, o condutor do automóvel foi ouvido e realizou exame de alcoolemia. O resultado constatou que ele havia ingerido bebida alcoólica, porém sem perda de capacidades psicomotoras. De acordo com a legislação vigente, o autor vai responder em liberdade por homicídio culposo na condução de veículo automotor e por lesão corporal culposa. Os agentes vão ouvir os pais da criança e realizam outras diligências para esclarecer os fatos. A investigação está em andamento a fim de determinar a responsabilidade criminal do condutor.

*Estagiário sob supervisão de Raquel Morais

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img