Rio de Janeiro,

sábado, setembro 25, 2021
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #40

INEA é acionado para avaliar fenômeno de mortandade de peixes nas lagoas de Maricá

Mais lidas

Moradores de Ponta Negra identificaram uma grande quantidade de peixes mortos na Lagoa de Jacaroá neste sábado (4). Para resolver o problema, a Prefeitura assumiu a gestão das águas das lagoas locais, até então a cargo do Instituto Estadual do Ambiente (INEA).

O órgão foi contactado com objetivo de apurar as causas do episódio, a secretária de Cidade Sustentável e a secretaria de Agricultura Pecuária e Pesca, além de monitorar o local, e mobilizar equipes para realizar a limpeza e remoção dos peixes mortos, encaminhará ofício para o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), solicitando a presença de representantes do órgão para a realização de estudos com analise da água da região para que se avalie a causa do dano ambiental registrado. 

A partir da clara compreensão de que este é um dos principais desafios da cidade, a administração também iniciou na última semana ações de revitalização das águas, que levarão a uma maior oxigenação do ecossistema e preservação da vida na lagoa. O programa Lagoa Viva lançado dia 26/08, tem como objetivo, entre outras ações, reequilibrar o ecossistema para garantir que eventos como este não voltem a acontecer. 

O programa Lagoa Viva, uma parceria com pesquisadores de alta graduação da Universidade Federal Fluminense (UFF) com a Prefeitura de Maricá, fez uma demonstração na lagoa de Itapeba, e terá início efetivo de suas ações no dia 27 de setembro de 2021 e, que é quando acontece o fenômeno da Maré de Sizigia, momento propício para o início do processo. Em breve, poderá oferecer a Maricá águas sadias, sem mau cheiro e translúcidas. 

Maricá vai agir sem descanso em busca dos melhores resultados para a população.

spot_img
spot_img

Últimas noticias