Leste Fluminense ganhará Geoportal para desenvolvimento da região e da indústria

Projetar o Leste Fluminense como uma região com condições para investimento e empreendedorismo é o propósito do novo Núcleo de Estudos e Planejamento Estratégico da Região Leste Fluminense (Nepe), cujo acordo de cooperação foi assinado na sexta-feira (11), pelo Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento da Região Leste Fluminense (Conleste), com o apoio da Firjan e da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar).

O projeto visa a construção de uma plataforma de inteligência geográfica. O Geoportal terá a finalidade de compartilhar informações integradas, de modo a identificar oportunidades de investimentos na região, em favor do desenvolvimento e atração de indústrias, através da realização de pesquisas. Pretende, por exemplo, informar o zoneamento das áreas dos municípios para uma ocupação racional.

O Geoportal terá ainda a função de promover o desenvolvimento regional integrado, que é uma das diretrizes do Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio 2016-2025, iniciativa da federação. De acordo com Luiz Césio Caetano, presidente da Firjan Leste Fluminense, a federação vai compartilhar suas informações e dados, contribuindo para a iniciativa. “Essas informações, nas áreas de saneamento básico, energia elétrica, infraestrutura de transportes e segurança pública, vão servir de subsídio para os gestores públicos, para a sociedade e para a indústria”.

Para João Leal, diretor geral do Conleste, o Nepe será o marco digital da região, uma vez que vai propiciar eficácia da prestação do serviço público, gerando um trabalho de maior excelência para o cidadão. “Esse marco digital traz avanços, considerando todas as nossas potencialidades, como o ecoturismo, agricultura e o gás. Proporciona um impulsionamento desses vetores, com o lastro tecnológico que vamos propiciar,” explica Leal.

A Codemar, por sua vez, vai somar com sua expertise, uma vez que já utiliza o software para projetos de desenvolvimento municipal, além de contribuir para o investimento do projeto.

Fundamental para o planejamento de políticas públicas, centralizando e democratizando as informações, sob o enfoque territorial, a ferramenta vai disponibilizar a contextualização de cenários para gestores públicos, universidades, entidades privadas e a população em geral.

A partir de agora, após a cerimônia de assinatura do acordo realizada em Itaboraí (com a presença do deputado federal Paulo Ganime, membro da Comissão de Ciência e Tecnologia no Congresso Nacional), o grupo terá 90 dias para preparar um plano de trabalho definido e iniciar a implementação do projeto. Segundo Leal, a estimativa é de que o Nepe comece a funcionar em fevereiro de 2021, atendendo aos 16 municípios da região, que possui mais de 3,3 milhões de habitantes.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.