Manifesto pede a reabertura da cidade de Búzios

buzios

Centenas de pessoas protestam em Búzios, Região dos Lagos, na manhã desta quinta-feira (17), em relação as novas medidas de flexibilização, que pede o fechamento de praias e da rede hoteleira da cidade, entre outras medidas. A decisão judicial causou descontentamento entre os moradores da região, comerciantes e rede hoteleira da cidade.

Diante do protesto, o trânsito também ficou prejudicado, diversos pontos de engarrafamentos foram registrados na cidade, causando um verdadeiro nó para aqueles que tentavam entrar e sair da cidade.

De acordo com a Prefeitura da cidade, a decisão judicial se baseia em Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado com a Defensoria Pública em junho de 2020, e que não teria sido cumprido até o momento, mas que vem cumprindo com vários itens do TAC, como o aumento do número de leitos de internação para Covid-19 e a disponibilização de tenda de atendimento especial para pacientes com sintomas da doença.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, a população inconformada pede a abertura da cidade.

“A cidade não pode parar, é um absurdo essa decisão, ainda estamos na pandemia e sofremos com o fechamento do comércio no início, ainda estamos amargando os prejuízos”, contou José Rezende, comerciante da cidade.

Turistas que iriam se hospedar na cidade nas próximas semanas também não ficaram satisfeitos com a decisão é o caso da mineira Letícia Santos, 31 anos.

“Estava tudo reservado, procurei búzios como destino, pois sei que existem praias que não há aglomerações, pois como tenho pais idosos tenho que me preocupar com isso. Hoje recebi uma ligação da pousada, informando que a nossa estadia pode ser cancelada. Fiquei indignada”, contou.

O Decreto Municipal 1.533/2020 e restabelece decreto 1.366 que promove o fechamento de praias, quadras poliesportivas, estabelecimentos comerciais e hotéis, pousadas e outros meios de hospedagem.

Notícias Relacionadas