Maraey firma convênio com universidades para preservação e conservação ambiental em Maricá

Resort

A FC&VB-RJ (Federação de Convention & Visitors Bureaux do Estado do Rio de Janeiro) e o Maricá Convention & Visitors Bureau realizaram, nesta quarta-feira (28), o terceiro Seminário Empresarial de Turismo de Maricá. O evento contou com a participação de diversos executivos, entre eles o CEO da IDB Brasil, Emilio Izquierdo, e o diretor executivo, David Galipienzo, que reafirmaram o compromisso de tornar MARAEY em uma referência mundial de turismo baseado na sustentabilidade e na inovação.

Uma das questões abordadas, relacionada ao empreendimento hoteleiro, foi o cuidado com o meio ambiente. O empreendimento ocupará  840 hectares, 8 km de praia e 12 km de orla de lagoa e vai preservar 81% da área com vegetação nativa e total proteção. A ocupação predial será de apenas 6,6% do território.

‘Vamos também criar uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), que será a segunda maior reserva de Restinga do Estado, com 437 hectares, que vai, através de convênios – que já estão assinados com as principais universidades do país (como UFRJ, UFF, UFRGS, por exemplo) – desenvolver pesquisas e aplicar programas e projetos para a preservação e conservação de nossas espécies de vegetação e de fauna que lá existem”, disse David Galipienzo.

Maraey – O empreendimento contará com quatro hotéis cinco estrelas, que receberão uma média de 300 mil turistas por ano: um luxuoso eco-boutique resort, um resort temático de luxo, um hotel desenhado para ser o mais icônico resort de convenções à beira-mar do país e o MARAEY Golf Resort, ao redor de um campo de golfe sustentável de padrão internacional de 18 buracos.

O projeto oferecerá ainda novas moradias de diferentes tipologias (multifamiliar, duplex e vilas) com serviços integrados como escola, hospital, shopping e negócios, além de inúmeras atividades de lazer e esportivas. MARAEY inclui, também, uma universidade de hotelaria de padrão internacional, para posicionar Maricá como um polo de formação especializada na América Latina.
O investimento privado previsto para o empreendimento é da ordem de R$ 11 bilhões, com arrecadação de impostos de R﹩ 7,2 bilhões durante os primeiros 14 anos (construção e consolidação de vendas) e mais R$ 1 bilhão anual na operação. A previsão é de um aquecimento na economia do Estado do Rio, com a geração de 36 mil empregos quando estiver em pleno funcionamento.

Notícias Relacionadas