Rio de Janeiro,

terça-feira, junho 22, 2021
spot_img

Leia a nossa última edição #37

Maricá: Cartão do Supera Rio pode ser retirado no Sine

Mais lidas

A pedido do Estado, Maricá começou, nesta terça-feira (08), a fazer a distribuição dos cartões do programa Supera Rio nas instalações do Sine Maricá, na Rua Carlos Rangel, 51, Centro. O auxílio emergencial estadual tem valor de R$ 200, com acréscimo de R$ 50 para cada filho, limitado a dois menores para população. Serão seis parcelas até dezembro, podendo se estender mediante a pandemia.

O Supera RJ é um programa de renda mínima que tem como objetivo o enfrentamento e a superação da crise econômica causada pelas medidas de combate ao coronavírus, priorizando o cidadão em estado de vulnerabilidade social e a pobreza. O projeto foi idealizado pelo presidente da Assembleia Legislativa do Rio, André Ceciliano.

“No momento em que o país vive a sua mais grave crise da história, não há a menor dúvida que a pobreza aumentou muito no Brasil. Maricá tem sido um exemplo de como superar essa dificuldade com programas arrojados. O Supera Rio se soma à essas iniciativas oferecidas pelo município e chega em uma boa hora para ajudar quase 700 maricaenses mais carentes da nossa cidade”, afirmou o secretário de trabalho, Adilson Pires.

Na primeira leva foram beneficiadas 691 pessoas em Maricá, que até a próxima quinta-feira (10/06) para comparecerem ao Sine e retirar o cartão – todos estão recebendo avisos enviados por SMS e outras ferramentas. Quem fizer a inscrição a partir de agora e se enquadrar nos critérios do programa receberá na segunda leva, em aproximadamente 15 dias. Aqueles que não retiraram o cartão poderão faze-lo depois na sede da Fundação Leão XIII em Maricá (Rua Domício da Gama número 391).

“Desde o princípio da pandemia Maricá construiu uma série de programas de proteção econômica e social, reafirmando assim uma postura de conjugar desenvolvimento com justiça social.  Perceber que estamos inspirando muitos outros a seguirem essa linha de atuação nos deixa feliz”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Comércio, Indústria, Petróleo e Portos, Igor Sardinha.

Terão direito a receber o auxílio os responsáveis familiares inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) do governo federal, com renda familiar mensal per capita igual ou inferior a R$ 178,00; que não sejam beneficiados por nenhum outro programa de transferência de renda ou benefício social. O cadastro do responsável familiar deve ter sido atualizado nos últimos 24 meses e poderão ser atendidos trabalhadores que tenham perdido vínculo formal de trabalho com salário mensal inferior ao valor de R$ 1.501 no período da pandemia, a contar de 13 de março de 2020, e estejam sem qualquer outra fonte de renda.

De posse do cartão, os beneficiários podem sacar em 24h o valor ou usar em qualquer comércio dentro do estado do RJ. O valor será de, no mínimo, R$ 200 com adicional de R$ 50 (cinquenta reais) por filho menor de idade, limitado a 2(dois) filhos, podendo chegar no valor máximo de R$ 300 (trezentos reais). O beneficiário não precisa possuir relação contratual com nenhuma instituição financeira ou similar para receber o auxílio.

Além disso, também podem receber os profissionais autônomos, trabalhadores de economia popular solidária, agricultores familiares, microempreendedores individuais, agentes e produtores culturais, aos profissionais autônomos, inclusive os agentes e produtores culturais, às costureiras, cabeleireiros, manicures, esteticistas, maquiadores, artistas plásticos, sapateiros, cozinheiros, massagistas, empreendedores sociais e os negócios de impacto social.

Eduardo Rodrigues, de 41 anos, morador de Itaipuaçu, contou que está desempregado há mais de um ano e esse auxílio vai ajudar muito. “Eu fiz o cadastro pela internet e foi muito simples. Só coloquei meu CPF e o próprio site me orientou que o cartão estaria disponível aqui. Esse dinheiro vai ajudar muito a minha família”, afirmou.

 

spot_img

Últimas noticias