Rio de Janeiro,

sábado, setembro 25, 2021
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #40

Maricá destaca a importância da doação de leite materno

Mais lidas

Maricá chega a terceira semana do Agosto Dourado, campanha de incentivo ao aleitamento materno. A campanha vai até dia 27 deste mês e o tema para debate nas 24 Unidades de Saúde da Família (USF) é “Pega e posição da mama”.  As rodas de conversas acontecem ao longo do dia, durante toda a semana.

A cidade ainda possui uma sala de coleta de leite materno e apoio à amamentação fica no Posto Central (R. Clímaco Pereira, 375, Centro). O espaço funciona de segunda a sexta, de 8h às 17h, sob a responsabilidade da enfermeira Karina Oliveira. O telefone para agendamento e dúvidas é o 2637-3395, que também é WhatsApp.

O espaço também oferece tratamento de laser terapia para trauma mamilar, indicado para tratamento de fissura mamária (seios machucados), candidíase mamária e outros problemas que possam surgir na amamentação.  Antes da utilização do laser são feitas consultas e avaliação.

A campanha realizada na cidade aborda uma ação muito relevante para a saúde: a doação de leite materno, que salva a vida dos recém-nascidos que precisam de uma UTI Neonatal por tempo indeterminado e suas mães não conseguem os amamentar. Maricá possui a Sala de coleta de leite materno e apoio à amamentação, que funciona como apoio ao banco de leite materno do Hospital Universitário Antônio Pedro, de Niterói – é lá que o leite é pasteurizado e encaminhado para os bebês internados que precisam do alimento. A UTI Neonatal do hospital atende bebês de toda a região, incluindo de Maricá. O município conta, atualmente, com 116 doadoras.

“O leite materno já vem pronto e na temperatura certa. Não precisa preparar ou carregar e não tem custo. E para quem tiver dificuldade, é imprescindível uma rede de apoio. A amamentação foi, por anos e anos, romantizada, e é necessário informação e sensibilidade nesse momento da vida da mãe. Doar leite materno é um ato de amor”, avalia Solange Oliveira, médica obstetra e secretária de Saúde de Maricá.

A farmacêutica Luiza Pontes, de 34 anos, mãe do pequeno Artur, de 7 meses, já conhecia a sala de amamentação e banco de leite humano do município e assim que estabeleceu a amamentação do filho mais novo, procurou saber mais sobre o processo de doação.

“Fui acolhida e recebi todas as informações de como me tornar doadora aqui em Maricá. Fiquei surpresa com o trabalho realizado, inclusive o de coleta a domicílio, o que facilita muito a vida das doadoras. O leite materno é um alimento natural e principal fonte de nutrientes no primeiro ano de vida de um bebê. Se pararmos para pensar que a amamentação em livre demanda é indicada como fonte exclusiva de nutrição nos primeiros 6 meses e o quanto um bebê se desenvolve nesse período, percebemos como é um alimento completo. Além disso, previne a criança de diversas doenças e até mesmo auxilia na recuperação em diversas situações. O nosso corpo é muito inteligente e fornece exatamente o que o bebê precisa”, pondera Luiza.

A médica pediatra Aline Peixoto, coordenadora da área técnica da saúde da criança e do adolescente da SMS Maricá, explica o porquê da importância de conscientizar as lactantes sobre a doação de leite materno.

“Porque a doação de leite materno pode salvar vidas. Precisamos incentivar e parabenizar as mães pela doação para que outras mães possam ver seus filhos crescerem com os benefícios da amamentação. Os bebês recebem das mães proteção imunológica através dos anticorpos maternos. O leite materno é a primeira vacina que o bebê recebe”, explica Aline.

spot_img
spot_img

Últimas noticias