Maricá participa de Feira Internacional de Cooperativismo, no Rio Grande do Sul

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A secretaria de Economia Solidária participou entre os dias 12 e 15 de julho da 25ª FEICOOP – Feira Internacional do Cooperativismo – na cidade de Santa Maria (RS). O encontro teve como tema “Construindo a Sociedade do Bem-Viver: Por uma Ética Planetária”. No mesmo espaço também aconteceu o 3º Fórum Mundial Temático de Ecosol e a 3ª Feira Mundial de Ecosol. A FEICOOP reuniu representantes de diversas cidades do país e da América Latina. Além da comercialização de produtos da agricultura familiar, também discute um novo modelo de economia, mais solidário e sustentável.
 
Debates, rodas de conversa e seminários tinham como principal enfoque os projetos de cada município e as formas de implantação. Em uma das tendas, o secretário de Economia Solidária, Diego Zeidan, compartilhou as experiências de Maricá, em especial a implantação do programa de transferência de renda e da moeda social Mumbuca. O secretário ressaltou os avanços em projetos sociais e solidários que a prefeitura está desenvolvendo como o transporte público, o Turismo de Base Comunitária, em parceria com a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e a Feira Livre Solidária que está em sua terceira edição. Algumas artesãs que participam da Feira Livre Solidária acompanharam a comitiva de Maricá e levaram para o Sul um pouco do artesanato produzido em nossa cidade.
 
Durante o evento, o secretário assinou termo de intercâmbio entre a Prefeitura de Maricá e a Prefeitura de San Marti, na Argentina. O primeiro encontro aconteceu durante o Fórum Social Mundial, quando o representante da cidade argentina ficou interessado em conhecer a iniciativa do Banco Comunitário e a moeda social Mumbuca. A partir de agora, as duas cidades vão trocar experiências. Maricá com o Cartão Mumbuca e San Marti com o know-how em microcrédito. Segundo o secretário de Economia Solidária, este tipo de evento é essencial para que se discuta e apresente novas formas de economia. “São com eventos como este que expomos nossas iniciativas. Aprendemos e ensinamos, compartilhamos de forma solidária questões que podem e devem ser usadas como alternativas a esta economia capitalista excludente. Uma nova economia existe e estamos implantando em Maricá”, afirmou.
 
Ainda não foram divulgados os dados deste ano. Mas ano passado, de acordo com a organização, foram 570 municípios participantes de 20 países da América Latina e com cerca de 250 mil visitantes.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.