Maricá: Resort terá 50% da energia elétrica nas áreas comuns gerada por fontes renováveis

resort Foto: Divulgação / IDB

O novo resort que será construído em Maricá terá uso de energia renovável, mais da metade da energia elétrica a ser consumida nas áreas externas do empreendimento será gerada através de fontes renováveis, entre as quais energia solar, biogás e mini eólicas, para uma população total estimada em 70 mil pessoas, formada por residentes, prestadores de serviços, turistas e trabalhadores. O empreendimento recebeu a pré-certificação do Sustainable SITES Initiative® (SITES), na categoria Gold.

O Sistema de Créditos v2 usa uma metodologia de 200 pontos com quatro níveis de excelência, em que o SITES Gold é o terceiro mais alto. O SITES é um programa que promove o desenvolvimento sustentável do ambiente e pode ser usado para reforçar a sustentabilidade de um projeto, incluindo a implementação de sua infraestrutura verde e o aumento da resiliência do mesmo.

“A sustentabilidade é um pilar fundamental do projeto. Nosso objetivo é ter um complexo em consonância com o meio ambiente, preservando sua riqueza e diversidade. Com investimento em diferentes frentes, especialmente no uso de energias limpas, queremos ser uma referência autossustentável no cenário turístico-residencial, e essa pré-certificação é um reconhecimento e uma responsabilidade que nos motiva ainda mais”, afirma Emilio Izquierdo, CEO de MARAEY.

Além do uso de placas fotovoltaicas, a equipe de técnicos do projeto estuda diversas formas de produção de energia através de fontes renováveis, tais como o biogás, gerado a partir do processo de tratamento de esgoto, e a energia eólica, gerada por mini turbinas. Estuda-se ainda a geotermia, processo de troca de calor com o solo que, incorporado nos sistemas de climatização das edificações, possibilita uma redução do consumo de energia elétrica. A produção de energia elétrica através de fontes renováveis será direcionada para iluminação de áreas públicas e comuns dentro do complexo, alimentação dos sistemas de irrigação nos jardins e campos esportivos e de lazer do empreendimento.

“Conquistarmos a pré-certificação SITES Gold só mostra como, de fato, estamos alinhados com o conceito de sustentabilidade do projeto MARAEY, sendo coerentes com o que propomos, criamos e oferecemos. Seremos os primeiros com a pré-certificação na tipologia de uso misto em toda a América do Sul. Entre os grandes empreendimentos turístico-residenciais, teremos uma estrutura de vanguarda pela complexidade e multiplicidade de fontes energéticas sustentáveis”, declarou Marcelo Galvão, Diretor Técnico de Construção de MARAEY.

Para obtenção da pré-certificação SITES, um empreendimento deve incorporar, nas etapas de projeto, obra e operação, objetivos de estratégias relacionados, entre outros, aos seguintes temas:

– Preservação e promoção de ecossistemas nativos
– Conservação das águas
– Drenagem sustentável

– Eficiência energética

Reaproveitamento de água-  Para a pré-certificação de MARAEY como SITES Gold, o programa considerou, além do uso de fontes renováveis de energia, a adoção de estratégias relacionadas à conservação das águas. Para tanto, o projeto credita o reaproveitamento da água proveniente das estações de tratamento de esgoto (ETEs) do empreendimento. A vazão média de esgoto gerado por dia estimada no projeto é de cerca 60 litros por segundo, o que possibilitará a irrigação com água de reuso, em área aproximada de 380 mil m2.

Outra solução hídrica sustentável prevista no projeto MARAEY será a captação de água de chuva no sistema viário e o seu armazenamento em reservatórios específicos para utilização como água de reuso.

A água, proveniente tanto das ETEs quanto da captação de chuva, será utilizada nos sistemas de irrigação de jardins nas áreas comuns e públicas, assim como no campo de golfe. Com isso, MARAEY visa a substituição do uso de água potável para manutenção de seu paisagismo.

Preservação perpétua da restinga-  Ser um projeto que se integra ao meio ambiente, protegendo-o, sempre foi uma das premissas de MARAEY. O complexo turístico-imobiliário terá a segunda maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) de restinga do Estado do Rio de Janeiro. Com quase 440 hectares, a área da RPPN corresponderá a mais da metade da área de MARAEY e será protegida integralmente e de modo perpétuo.

Outro recurso para preservação da fauna e flora é o plano de manejo de material orgânico para reflorestamento de zonas degradadas, além do resgate de espécies. A camada vegetal suprimida por autorização legal será tratada e usada na recuperação de áreas deterioradas. Após a implantação do projeto, a estimativa é que haja uma recomposição da vegetação nativa de mais de 120 hectares da Restinga de Maricá em relação à situação pré-MARAEY.

Mobilidade sustentável- Na busca pela pré-certificação SITES Gold, MARAEY também pontuou pelo fomento ao uso de veículos híbridos elétricos e, seguindo a tendência de grandes complexos que oferecem ciclovias que se integram aos municípios onde se instalam, por ter 20 km de pista dedicada às bicicletas. Quando estiver pronta, será a maior ciclovia do Brasil dentro de um empreendimento turístico-residencial. Essa extensão implica uma expansão da malha cicloviária de Maricá, chegando a 57,5 km.

Sustainable SITES Initiative® (SITES)-  A certificação Sustainable SITES Initiative®, ou SITES®, de propriedade e administrada pelo Green Building Certification Inc. (GBCI), é o programa mais completo para o design, desenvolvimento e manutenção de ambientes sustentáveis.

O sistema de créditos do SITES promove as melhores práticas de restauro ecológico, arquitetura em terrenos e áreas afins. O programa apoia e recupera as funções de ecossistemas saudáveis, seja em áreas urbanas ou rurais. Desde plantas e solos até água e materiais, o SITES aprimora as comunidades através do design responsável, reforça a performance de edifícios e negócios por meio da entrega de soluções econômicas e ambientais e cria uma forte conexão entre as pessoas e a natureza. O SITES interliga design com ecologia e pessoas com os lugares.

O SITES foi originalmente desenvolvido por meio de um esforço colaborativo e interdisciplinar da Sociedade Americana de Arquitetos Paisagistas, do The Lady Bird Johnson Wildflower Center da Universidade do Texas e do Jardim Botânico dos Estados Unidos. O sistema de créditos pode ser aplicado a empreendimentos localizados em áreas com ou sem edificações e traz a experiência adquirida através de um programa piloto de dois anos que contou com mais de 100 projetos. Projetos que tenham alcançado a certificação incluem sedes corporativas, parques nacionais e municipais, campus acadêmicos e residências privadas.

 

Notícias Relacionadas