Mercado Municipal de Niterói reabrirá em novembro

Empresários e produtores já podem se candidatar a uma das 180 lojas do Novo Mercado Municipal. Nesta quinta-feira (13), por meio de uma transmissão ao vivo nas redes sociais da Prefeitura de Niterói, foi realizado o lançamento comercial do empreendimento na Avenida Feliciano Sodré, no Centro, que está sendo completamente revitalizado, e será um novo polo turístico, cultural e gastronômico da cidade.

No momento, o processo de locação das lojas pode ser iniciado pelo site do Novo Mercado Municipal (www.mercadomunicipaldeniteroi.com.br). A partir do dia 1 de setembro, será disponibilizada uma sala de reuniões na Associação Comercial (Avenida Amaral Peixoto, 286, 5º andar, Centro de Niterói) e, na segunda quinzena de setembro, o atendimento passará a acontecer em um espaço no Mercado Municipal.

A intenção é trazer para o Novo Mercado Municipal pequenos produtores de Niterói e do interior do estado do Rio, que hoje só têm a Cadeg como opção para levar seus produtos. O local abrigará floriculturas, uma vila cervejeira entre outras atividades, gerando emprego e renda.

Parceria Público Privada – A Prefeitura de Niterói e o Consórcio Novo Mercado Municipal firmaram uma Parceria Público Privada (PPP) para a reforma e gestão do espaço por 25 anos. O investimento do consórcio será de R$ 69 milhões em três anos, sendo R$ 30 milhões na reforma do atual prédio.

Durante o lançamento, o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, enfatizou que o Novo Mercado Municipal será fundamental para a retomada econômica de Niterói. A expectativa da Prefeitura é que, em novembro, mês de aniversário da cidade, as lojas já estejam abertas. Rodrigo Neves destacou, ainda, que, de acordo com estudos internacionais, a revitalização de mercados municipais é uma tendência em muitas cidades.

“Este prédio estava abandonado há décadas. Fizemos as tratativas com o Estado para municipalizar a área que, agora, está sendo totalmente recuperada e modernizada pela Prefeitura e o setor privado, para ser inaugurado em novembro. A iniciativa contribui não só para a geração de emprego e renda, como para o resgate histórico de nossa cidade, com a recuperação deste prédio”, afirmou o prefeito.

A secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer, destacou a importância do empreendimento para a cidade e lembrou que o novo espaço será também uma grande área de convivência das famílias da cidade e visitantes.

“Com sua localização estratégica, o Novo Mercado Municipal se posiciona como potencializador do processo de renovação do centro da cidade, que vem recebendo importantes intervenções. Além disso, a cidade tem essa memória afetiva pelo conjunto arquitetônico. Estamos muito otimistas com essa revitalização do prédio e de seu entorno. Esta iniciativa cria um novo vetor de desenvolvimento urbano, atraindo novos negócios para Niterói, bem como um espaço para as famílias niteroienses”, disse.

Desenvolvimento econômico – O térreo do Mercado Municipal será um espaço para comercialização de frutas – incluindo espécies raras e de cultivo orgânico e oriundas da economia familiar -, verduras, legumes, produtos tradicionais da região, açougue, empórios especiais, produtos gourmet, queijos, laticínios e especiarias. No mezanino ficarão restaurante, cervejarias artesanais e uma adega.

Serão construídas uma nova praça, boulevard e estacionamento com 300 vagas. Todo o local contará com medidas de sustentabilidade, como o uso da luz natural, reaproveitamento de água de chuva e telhado verde.

“A abertura do Novo Mercado Municipal terá um papel muito importante para a retomada da economia na cidade. Essa reabertura só foi possível graças a integração e empenho das equipes de todas as secretarias envolvidas no projeto, e por este modelo de parceria público privada. Tenho certeza que estas lojas serão comercializadas rapidamente. Muitos já demonstraram interesse em atuar neste novo espaço, que terá a cara de Niterói”, pontuou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Luiz Paulino Moreira Leite.

A diretora comercial do empreendimento, Sofia Avny, ressaltou que o Novo Mercado Municipal de Niterói servirá de modelo para futuros mercados. Ela citou o orgulho em estar fazendo parte da volta deste marco para a história da cidade, e destacou o potencial transformador para o desenvolvimento econômico e para o turismo.

“Estamos fazendo um mercado para o mundo. Nossa missão agora é de ser o melhor mercado, com preços justos, acompanhando a economia. Vamos gerar receita, impostos e mão de obra. Nossa parceria não é só uma Parceria Público Privada, ela é também uma parceria do setor privado para o privado. Não pretendemos sentar cada um de um lado da mesa, mas sim, do mesmo lado da mesa para este diálogo”, frisou.

Obras – A revitalização e as obras do Mercado Municipal Feliciano Sodré seguem avançando e, com a abertura, uma parte da história de Niterói será resgatada, estimulando o turismo e lazer. As intervenções urbanas que serão efetivadas no entorno do mercado facilitarão a chegada à região de quem mora no Rio, através de um novo acesso pela Ponte Rio-Niterói.
Ocultar texto das mensagens anteriores

Toda a parte de recuperação do telhado e reforço das estruturas já está concluída incluindo a impermeabilização do telhado e restauração dos traços de art déco. De acordo com o cronograma, a reforma do prédio principal será concluída em setembro, e a requalificação do entorno está prevista para outubro.

“A requalificação do entorno do mercado contará com novas calçadas, paisagismo e iluminação de LED. Vamos facilitar a acessibilidade à região, que está muito próxima aos acessos da Ponte, facilitando também a chegada de quem vem do Rio. Vamos fazer todo um plano de circulação, que vai facilitar para quem vem pela Ponte para acessar de uma forma mais direta aquela região”, explicou o secretário municipal de Urbanismo, Renato Barandier.

Antigo Mercado – O edifício da Avenida Feliciano Sodré, que abrigou, de 1930 a 1976, o Mercado Municipal da cidade e depois passou a ser o Depósito Público Estadual, está recebendo um trabalho meticuloso e feito com cuidado para manter todas as características da arquitetura neoclássica do lugar. O imóvel faz parte de um conjunto arquitetônico da região portuária de Niterói. Com uma área de cerca de 9.700 metros quadrados, o local estava desativado há cerca de 30 anos.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.