Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu poderá ser ocupado nas próximas semanas

Carlos Mariguella Foto: Prefeitura de Maricá

Nas próximas semanas o poder público dará início a ações no conjunto habitacional Minha Casa Minha Vida Carlos Marighella, no bairro de Itaipuaçu, em Maricá. O local vem sofrendo com a atuação de criminosos. O objetivo da ação é levar políticas públicas aos moradores, com redução na violência, além de investimentos nas áreas de esporte e lazer, educação, trabalho, assistência social, ordem pública, dentre outras.

De acordo com o secretário de Participação Popular, Direitos Humanos e Mulher, João Carlos de Lima (Birigu), a secretaria atuará nas ações.

“Entendemos a importância da nossa presença quando se trata de garantia de direitos. A nossa secretaria, tem um grupo de agentes social junto com o programa cultura de direitos e iremos dar apoio a outras secretarias”, disse.

Na área de segurança pública haverá uma integração entre Polícia Militar e Secretaria de Ordem Pública e Gestão de Gabinete Institucional, com atuação de 48 agentes da Polícia Militar, Proeis e Guarda Municipal.

O secretário de Ordem Pública e Gestão de Gabinete Institucional, Tenente Coronel Julio Cesar Veras Vieira, contou que a ação vem sendo pensada de uma forma coletiva.

“O bem estar da população do conjunto habitacional Minha Casa Minha Vida é uma preocupação do governo municipal, da Secretaria de Ordem Pública e do comando do 12º Batalhão há algum tempo, devido aos índices de criminalidade constatados no seu interior e em seu entorno. As ações em conjunto estão sendo planejadas desde antes das eleições. Diferente de exemplos de outros projetos na área de segurança, nós gostaríamos de envolver outras pastas, não somente a segurança ou ordem pública”, disse.

O chefe da pasta ainda ressaltou que o objetivo da ação é fazer com que os moradores possam gozar plenamente a sua cidadania.

“O Prefeito, Fabiano Horta e o vice prefeito, Diego Zeidan também presidiram inúmeras reuniões com as pastas envolvidas para que possamos proporcionar à população toda assistência do município. Nós temos consciência de que é um trabalho complexo.  Nosso objetivo é somar esforços com a população local, pois sabemos que a grande maioria dos moradores são de bem e não querem ser reféns de qualquer pseudo organização criminosa, seja o tráfico ou a milícia. O Proeis, a Guarda Municipal junto com a secretaria de Ordem Pública, o apoio do 12º BPM e das outras secretarias darão condições e oportunidades para que os moradores se sintam inseridos no município, podendo exercer sua cidadania com plenitude.”

O coronel Sylvio Guerra, comandante do 12º BPM, afirmou que trabalhará em conjunto com a secretaria de Ordem Pública.

“Apesar do efetivo maior ser da secretaria do município, a PMERJ também estará presente, iremos trabalhar em conjunto”, disse.

Procurada, a secretaria de Comunicação de Maricá ainda não informou sobre o início da ação.

Notícias Relacionadas