spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #70

spot_img
spot_imgspot_img

Moradores denunciam invasão de pessoas em situação de rua na Praia de Icaraí

spot_imgspot_img

Mais lidas

A Praia de Icaraí, muito frequentada por banhistas e esportistas, nos últiimos meses tem agora outro tipo de grupo: pessoas em situação de rua. Alguns montaram até acampamento onde passam o dia. De acordo com denúncias de moradores e comerciantes, também estão assaltando quem passa pelo calçadão, principalmente à noite. A costumeira caminhada virou um hábito perigoso.

Na altura da Rua Pereira da Silva, onde há uma vegetação de restinga, é possível ver barracas de camping. De acordo com denúncias, os assaltos na área aumentaram do Natal passado até hoje. No final da praia, onde há outra área de restinga, também tem tido ocorrências.

“Aumentou muito a quantidade de pessoas em situação de rua na praia. Eles estão assaltando os adolescentes e roubando celulares. Antes era tranquilo caminhar aqui. Agora ficou perigoso. Em frente à Rua Pereira da Silva, tem vários que ficam no calçadão assaltando. No final da praia, em frente à Avenida Ary Parreiras, também”, contou o comerciante Pedro Campos, que tem quiosque na praia.

Aumento do número de sem teto na areia da praia preocupa moradores

Nas redes sociais, moradores também denunciam o problema. “A Praia de Icaraí está virando acampamento de mendigos. É urgente que se torne providências”, cobrou a moradora Helena Mazula.

Procurada, a prefeitura respondeu que a Secretaria Municipal de Assistência Social e Economia Solidária realiza abordagens rotineiramente em diversos locais do Centro, Ingá, Icaraí e São Francisco, incluindo praças e a faixa de areia das praias. A ação é contínua e realizada por assistentes sociais e técnicos. As equipes fazem rondas nos locais de maior fluxo de pessoas em situação de rua com o objetivo de oferecer acolhida e os serviços socioassistenciais à população vulnerável.

Assistentes sociais da prefeitura abordam pessoas em situação de rua no Ingá/Foto: Divulgação

Os técnicos da abordagem social fazem o cadastro para os benefícios socioassistenciais, verificam a necessidade de segunda via de documentação e também encaminham as pessoas para os centros de acolhimento municipais e para o atendimento nos equipamentos de saúde quando é identificada a necessidade.

Niterói conta atualmente com mais de 350 vagas de acolhimento na cidade, com 68% de ocupação. Além dos dormitórios, os abrigos da cidade oferecem quatro refeições diárias (café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar), acompanhamento psicossocial, encaminhamento para rede de serviços e recambiamento. É fundamental que a pessoa aceite ir para um dos equipamentos oferecidos pelo governo municipal. A mesma pessoa pode ser abordada por diversas vezes pelos técnicos.

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img