Morre ex-senador Paulo Duque, apoiador e defensor de Maricá

O ex-senador Paulo Duque, que faleceu nesta quarta-feira (26) aos 92 anos, será homenageado em Maricá. Ele, que tinha casa em Ponta Negra, terá seu nome gravado na história da cidade. O prefeito Fabiano Horta vai batizar a nova ponte do bairro como ponte Senador Paulo Duque.

“Paulo Duque sempre foi um apoiador e defensor de Maricá. Lamentamos muito a perda dele que faz parte da nossa história”, declarou o prefeito Fabiano Horta.

Construída sobre a lagoa da Guarapina, a nova estrutura, que vai ligar as duas margens, terá duas faixas de rolamento e guarda-corpos para transeuntes em ambos os lados, com largura total de 11 metros. A extensão será de aproximadamente 50 metros com vão livre sobre o curso d’água de 41 metros, além de 4,5 metros de altura. A ponte vai passar também por cima das ruas Capitão Caetano e Benjamin Silva.

Carioca nascido em 1927, formou-se em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) aos 27 anos. Antes de ser senador em 2007, Duque foi vereador no Rio de Janeiro e deputado estadual por oito mandatos (seis consecutivos). O senador ficou no cargo até 2010 e, durante sua atuação, acabou nomeado presidente do Conselho de Ética da Casa.

Parte das memórias de Duque estão reunidas em um livro lançado com o nome dele pela coleção “Conversando sobre política”, do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (Cpdoc) da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O funeral será nesta quinta-feira, às 14h, no Cemitário São João Batista em Botafogo, na Zona Sul do Rio. Ele deixa a mulher, Consuelo Tarquínio Duque, e dois filhos.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.