spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #72

spot_img
spot_imgspot_img

Movimento Baía Viva denuncia despejo de produtos químicos na Baía de Guanabara

spot_imgspot_img

Mais lidas

O Movimento Baía Viva denunciará ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) o despejo de elementos químicos na Baía de Guanabara, na altura de São Gonçalo. A denuncia parte após um vídeo publicado nas redes sociais de um navio de bandeira norte-americana, o NAVE ORBIT MONROVIA, despejando elementos químicos no mar.

Sérgio Ricardo, ambientalista e líder do Movimento Baía Viva, falou com a equipe do ErreJota sobre o caso. “O Inea mandou uma nota para a gente dizendo que não encontrou nenhuma anormalidade. Como é possível? Denunciei para o Secretário do Meio Ambiente de São Gonçalo e ele nem sequer me respondeu. O Estado rasga dinheiro, pois a saúde e trabalho vem da Baía e 60% da população carioca vive em torno da Baía e nada é feito!”, expressou.

No ano passado (27/10/2022), milhares de peixes apareceram mortos na mesma região da denuncia do vídeo. Na época, Sérgio comentou que a tragédia ambiental aconteceu devido a uma mancha de óleo na região da Ilha do Governador. Já na última semana (13/01), milhares de peixes apareceram mortos na Lagoa de Marapendi, na Barra da Tijuca, também por conta da poluição.

Mortandade de peixes assusta quem sobrevive da pescaria. Foto/Divulgação-G1

O pescador Fábio Lopes é morador do Porto Novo, em São Gonçalo. Ele disse que a poluição prejudica a saúde e a vida marinha na Baía. “O Óleo diesel, quando vai para o mar, mata muitos peixes e polui muito a água. Esse óleo sai dos navios e principalmente dos rebocadores e diminui muito a quantidade do pescado. Nós trabalhamos à noite toda para pescar dois tabuleiros, antigamente em dois lances pegava seis. Sobreviver da pescaria está muito difícil”, contou Fábio. Ele disse que raramente alguém aparece para dar algum auxílio aos pescadores da região.

A Baía de Guanabara sofre há anos com a falta de saneamento básico na região e nos municípios. Além do esgoto, faltam fiscalizações em barcos e navios que passam pela região.

A Baía se tornou um cemitério de navios abandonados. No ano passado (14/11/2022), o navio São Luiz, que estava abandonado, bateu na Ponte Rio Niterói e a discussão sobre o abandono da Baía de Guanabara voltou à tona.

Navio São Luiz já estava encalhado a anos na Baía de Guanabara. Foto/Divulgação-G1

Nós procuramos diversos órgãos responsáveis como Marinha, Secretaria de Meio ambiente do RJ e Inea; somente o Inea nos respondeu. Segundo eles, uma vistoria será feita no local.

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img