Movimentos feministas organizam ato para o Dia Internacional da Mulher

Os números do Instituto de Segurança Pública (ISP) sobre violência contra mulheres de Maricá em 2018 são alarmantes: 37 estupros, 7 tentativas de estupros, 473 lesões corporais, 53 violações de domicílio, 2 feminicídios, 2 homicídios dolosos, 1 assédio sexual, 494 ameaças, entre outros. Ao todo, 1.587 casos foram denunciados.

Com o objetivo de chamar a atenção para o índice, os movimentos sociais feministas da cidade e a sociedade organizada vão realizar um ato no Dia Internacional da Luta da Mulher. A ação, que faz parte dos eventos 8M, vai acontecer na Rodovia Amaral Peixoto, altura do quilômetro 13, em Inoã.

Militantes feministas da UBM, UNEGRO, UJS, AMT, FENEGRAS, MPJ, MOVIDADE, MNU e MAE se reuniram nesta quinta e sexta-feira (5 e 6 de março) para discutir os eventos dedicados ao 8M pela cidade e produzirem material que servirá como base visual para a intervenção que será realizada neste domingo (8), na entrada da cidade. Além de cartazes, faixas e placas, serão usados elementos-surpresa para intensificar o significado da manifestação.

Apesar de Maricá não registrar muitos casos de feminicídio, em nada suaviza a estatística municipal, uma vez que aproximadamente dois terços dos casos denunciados são crimes violentos e a falta de estrutura adequada limita as denúncias. Considerando a estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o total de denúncias levantado pelo ISP chega a 2% da população feminina.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.