spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #72

spot_img
spot_imgspot_img

Municípios da Costa do Sol poderão contar com recursos federais pós pandemia

spot_imgspot_img

Mais lidas

O empresário Marco Navega,  que foi reeleito para mais mandato na presidência do Conselho de Desenvolvimento do Turismo da Costa do Sol (Condetur) e afirmou que os 13 municípios da Costa do Sol poderão contar com recursos federais a fundo perdido para promover eventos tradicionais após a pandemia. Os recursos são do Ministério do Turismo, que serão requisitados através da Plataforma Mais Brasil.

A captação dos recursos para projetos de movimentação turística será possível graças a estrutura legal do Condetur, que foi montada nos dois últimos. A entidade é a única instância regional do Estado do Rio reconhecida pelo Ministério do Turismo, que outorgou uma Certidão e, por isso, está apta a conduzir a captação de recursos a fundo perdido.

“Os recursos existem, mas não chegaram ao Rio por falta de projetos. Nosso desafio agora é buscar ajuda federal dentro das políticas públicas do Ministério do Turismo”, disse Navega, que tem encontro marcado com o secretário nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões, Lucas Fiúza, para tratar de investimentos no Estado do Rio.

Marco Navega explicou que a Costa do Sol tem condições de receber ajuda substancial do governo federal por possuir três municípios (Cabo Frio, Búzios e Macaé) na categoria A no mapa do turismo brasileiro. Cada um pode receber até R$ 800 mil por ano para apoio a eventos tradicionais. Os de categoria B (Arraial do Cabo, Saquarema e Rio das Ostras) podem captar até R$ 600 mil; e, os de categoria C (Maricá, Iguaba, São Pedro e Casimiro de Abreu) podem receber até R$ 400 mil.

“Somente o Condetur tem autonomia para inscrever os projetos. Uma equipe técnica está avaliando os eventos tradicionais que movimentam o turismo regional. Infelizmente, o governo estadual há anos não investe nos eventos do interior. Não há uma política estadual séria para o turismo e cada secretário que entra apresenta um projeto diferente que dificilmente sai do papel”, lamentou Navega.

Os conselheiros do Condetur são empresários e representantes dos Conventions Bureau e das secretarias de turismo, mas o estatuto prevê que o presidente tem que ser da iniciativa privada. Na nova diretoria, Thomas Weber, de Búzios, foi eleito o vice-presidente das entidades privadas e Arnaldo Matoso, de Quissamã, vice das entidades públicas

A ajuda federal poderá beneficiar eventos tradicionais, que geram movimentação de turistas, como os festivais gastronômicos de Búzios, de Macaé e de Rio das Ostras; o Tubarões Bikerfest de Cabo Frio, na 23ª edição; o Festival de Jazz & Blues de Rio das Ostras; e, o campeonato internacional de surf de Saquarema, entre outros.

“Para conseguir os recursos, porém, os eventos precisam ter história e comprovarem a movimentação turística”, concluiu Navega.

 

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img