Na semana do Natal, Justiça presenteia políticos e empresários presos na Lava Jato

Foto: Heuler Andrey/AFP

Foto: Heuler Andrey/AFP

Políticos e empresários presos na Operação Lava Jato ganharam da Justiça um presentão na semana que antecede o Natal. Os mais recentes contemplados foram o ex-governador do Rio de janeiro, Anthony Garotinho e o ex-ministro dos Transportes e presidente nacional do PR, Antônio Carlos Rodrigues. Ambos devem sair de suas respectivas carceragens até o final do dia de hoje. A saída foi concedida por uma decisão do ministro Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na última quarta-feira (20).

O ex-governador estava preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, depois de ser transferido da cadeia José Frederico Marques, em Benfica, onde o ex-ministro Antônio Carlos Rodrigues estava preso. Na ocasião, Garotinho disse ter sido agredido com um porrete e afirmou que chegaram a apontar uma arma para ele. No entanto, o ex-governador não conseguiu provar as supostas agressões.

No último dia 19/12, Gilmar Mendes mandou soltar a Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral. Com a decisão, o juiz, que também é ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), substituiu a prisão preventiva por prisão domiciliar.

Adriana Ancelmo foi condenada a 18 anos de reclusão no processo referente à Operação Calicute, principal desdobramento da Operação Lava jato no Rio e que levou para a cadeia, em novembro do ano passado, o ex-governador Sérgio Cabral, ex-secretários de Estado e empresários.

No mesmo dia, o empresário Marcelo Odebrecht saiu da cadeia e passou a cumprir pena de prisão em casa. O ex-presidente do Grupo Odebrecht passou a usar tornozeleira eletrônica que vai monitorá-lo 24 horas por dia.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.