spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #72

spot_img
spot_imgspot_img

Niterói ainda está sem água em diversos bairros

spot_imgspot_img

Mais lidas

Apesar da Cedae afirmar que o fornecimento de água em Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e parte de Maricá (Inoã e Itaipuaçu) foi normalizado no último fim de semana, ainda há bairros de Niterói com várias ruas sem cair um pingo de água nas caixas d’água. Os moradores estão tendo que se virar com caminhões-pipa. A escassez atinga bairros da zonas norte e sul, Centro, Pendotiba e Região Oceânica.

No Ingá, a reportagem constatou falta d’água nas ruas Fagundes Varela, Justina Bulhões, Presidente Pedreira e Dr. Paulo Alves. Em São Domingos, nas ruas José Bonifácio e Professor Hernani Pires de Mello e no Centro, na Rua São João e parte da Rua Dr. Borman.

Parte do Centro de Niterói ainda está sem água/Foto: Pedro Conforte

Foi verificada ainda falta de água em todo o bairro da Engenhoca, na Zona Norte, na Alameda Bolívia (entrada do Morro do Castro), na Rua São Diogo, em Ponta da Areia e no bairro do Fonseca, na Rua Tenente Osório e na Travessa Argus.

Nas redes sociais moradores relataram também falta de água nos bairros Atalaia, Jurujuba e na Vila Ipiranga, (no Fonseca). “Eu acabei de vim de Niterói e não teve médico, porque está sem água”, queixou-se uma internauta. “Jardim Fluminense, em Itaipu, está sem água desde quarta-feira, 03”, disse outro internauta.

Não há previsão de retorno do abastecimento/Foto: Divulgação

Em outros bairros, a água veio, mas, chegou sem força e em alguns lugares, a torneira abriu, mas, fechou de novo. “No Maravista, a água está sem força”, disse um morador. “Em Camboinhas, para subir água para a caixa d’água, só se tiver auxílio de uma bomba de tão fraca”, reclamou outra moradora. “Aqui em Piratininga, voltou e fecharam de novo”, queixou-se uma moradora.

Houve também reclamações sobre o preço cobrado pelos caminhões-pipa. “Em Rio do Ouro já não caía, imagine agora. É pipa na certa. São R$ 250 para tirar do seu salário”, reclamou uma moradora.

Procurada, a Secretaria Municipal de Serviços Conservação e Serviços Públicos informou que o abastecimento pode levar cerca de 72 horas após o Sistema Imunana-Laranjal, operado pela Cedae, ter voltado a funcionar, para normalizar completamente.

Também procurada, a concessionária Águas de Niterói ainda não se manifestou.

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img