Rio de Janeiro,

sexta-feira, setembro 17, 2021
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #40

Niterói: MAC completa 25 anos nesta quinta-feira (2)

Mais lidas

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói completa 25 anos, nesta quinta-feira (02).

O MAC – espaço administrado pela Prefeitura de Niterói, por meio da Secretaria Municipal das Culturas e Fundação de Arte de Niterói – foi construído no dia 2 de setembro de 1996, obra de Oscar Niemeyer para abrigar as obras da importante coleção de João Sattamini. Em 2016, passou por uma reforma inédita de modernização.

É considerado uma referência para a cidade, para a região e com projeção mundial, além de ser um dos cartões-postais do Rio de Janeiro e do país. O Mac já foi matéria e estampou capas de diversos jornais e revistas do mundo. Foi tema de documentários – inclusive com o próprio Oscar Niemeyer o apresentando –, de campanhas publicitárias e de inúmeros programas televisivos.

O seu aniversário conta com uma programação diversificada, ao longo do mês, a partir do dia 8. As comemorações incluem uma grande ocupação das artes visuais em todos os espaços do museu: galerias internas, rampa e praça.

Serão sete exposições ao todo, além de outras programações artísticas e culturais. Com esta iniciativa, vem a ideia da quebra das suas próprias barreiras físicas: um museu que se espalhe pela cidade, pelas redes. O visitante só conseguirá ver todas as exposições se for ao ambiente virtual (Transeuntis Mundi), se for até a praia da Boa Viagem (Samba exaltação), precisando estar dentro e fora.


“Os traços marcantes do gênio Oscar Niemeyer atraem olhares de todo o mundo para o mirante da Boa Viagem, onde as curvas do Museu de Arte Contemporânea se integram à exuberante paisagem da Baía de Guanabara. Em 2021, ao completar 25 anos, o MAC se confirma como um dos principais espaços culturais do País e encara o desafio de se aproximar ainda mais dos niteroienses. Exposições e demais atividades cumprem a importante missão de manter nosso MAC como sinônimo de vanguarda, um marco da pluralidade cultural contemporânea, acessível a todos que moram aqui e àqueles que vêm nos visitar”, destaca o prefeito de Niterói, Axel Grael.

Ao chegar na Praça, o público será recebido por um grande monumento, erguido em homenagem aos 25 anos, em diálogo com a arquitetura de Niemeyer.

Já para as galerias do MAC, os monumentos que pairam sobre os céus da Guanabara: de um lado o MAC e do outro o Cristo Redentor. No mezanino, algumas das principais obras das Coleções MAC e Sattamini, garantindo sua função pública e cultural. Diversos autores e trabalhos de extrema importância para arte contemporânea brasileira estarão ao alcance do público, incluindo Lygia Clark, Tunga, Beatriz Milhazes e Ricardo Ventura.

Ao terminar a visita, o público será brindado com o MAC trazendo a própria origem, sua história e construção. Serão diversos documentos, publicações e imagens que retratam um pouco esse período do museu, incluindo a primeira exibição pública do livro de ouro do MAC, que guarda depoimentos e assinaturas de grandes personalidades que visitaram o museu em seus 25 anos.

Ao longo do mês, outras linguagens estarão presentes na programação, como a Cia de Ballet (nos dias 11 e 12), trazendo a dança contemporânea da cidade para o interior do museu, em uma apresentação inédita criada exclusivamente para os 25 anos do MAC. Haverá também o Seminário de Arte e Cultura LGBTI, no dia 23, e a atividade de arte e cultura urbana “Basta ter princípios”, com transmissão nas redes virtuais. Assim, será iniciado o processo de expandir o museu para além do Mirante da Boa Viagem e das artes visuais.

O diretor do MAC Niterói, Victor De Wolf, destaca a importância da data: “Celebraremos os 25 anos do MAC com o mesmo orgulho que os niteroienses têm de viver nesta cidade, com esse incrível símbolo. O MAC olha pro seu próprio passado, mantendo viva sua missão de ser um abrigo da arte contemporânea, mas se recolocando também como um museu que traz o novo, que pauta os debates importantes da sociedade e que busca, ativamente, retomar seu afeto com a cidade e com os niteroienses. Um museu de Niterói para o mundo”, analisa.

spot_img
spot_img

Últimas noticias