Niterói: manifestantes querem reabertura das atividades não-essenciais

Centenas de manifestantes realizaram um protesto em Niterói nesta terça. Eles pedem a suspensão das medidas que restringem o funcionamento de atividades consideradas “não-essenciais” no município.

Os manifestantes levaram faixas e um carro de som e iniciaram a manifestação em frente à Prefeitura. Depois caminharam pelas ruas do centro e fecharam a Avenida Jansen de Melo, na altura de um hipermercado.

Palavras de ordem pedindo a reabertura do comércio eram gritadas durante todo o ato. Nas faixas, haviam inscrições como “Queremos Trabalhar” e “Atividade essencial é toda aquela para o trabalhador levar o pão para casa”.

O presidente do Sindicato dos Lojistas de Niterói (SindiLojas), Charbel Tauil, participou do ato e questionou os indicadores científicos usados para embasar a decisão do fechamento. “Queremos urgentemente a flexibilização. Os setores já não conseguem pagar as contas e estão demitindo e fechando as portas. Nós precisamos conversar democraticamente e o prefeito está nos cerceando esse direito e está excluindo a classe que mais representa a cidade: que são os comércios e serviços. A cidade do Rio, São Gonçalo e Itaboraí estão abertas. Que ciência é essa?”, disse.

Agentes da Guarda Municipal e da Polícia Militar estiveram no local para garantir a pacificidade da manifestação.

Notícias Relacionadas