Niterói Presente registra mais de 100 prisões em flagrante

Niterói presente Barreto

O Programa Niterói Presente já atuou em mais de 2.140 ocorrências e esta semana ultrapassou a marca de 100 prisões em flagrante, em pouco menos de três anos. Também foram recuperados 134 objetos roubados e 128 veículos. Durante este período, os agentes retiraram 570 foragidos das ruas durante as abordagens, além de colaborar para a prisão de traficantes, em apoio às ações da Polícia Militar.

O Niterói Presente é uma das ferramentas da Prefeitura de Niterói para combater a criminalidade, além de uma rede de 522 câmeras de Monitoramento do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp), 70 delas de inteligência artificial.

“Niterói é hoje uma cidade cercada, monitorada e com trabalho integrado. Com isso, os índices de criminalidade estão despencando, e o município apresenta resultados positivos no combate à violência”, observa Gilson Chagas, secretário do Gabinete de Gestão Integrada da Prefeitura de Niterói.

O secretário explica que, além do posicionamento dos agentes nas ruas ser estratégico, as equipes também são orientadas pelas câmeras do Cisp, através dos guardas municipais e de agentes do próprio Niterói Presente que atuam dentro do Centro de Monitoramento. Isso permite um deslocamento mais rápido e seguro na hora da abordagem.

De acordo com Gilson Chagas, com essa ação do Niterói Presente, a Polícia Militar fica livre para atuar no combate ostensivo à criminalidade em regiões que não têm a cobertura do programa, fechando assim um cerco na cidade.

Convênios – Os programas Niterói Presente e Proeis são resultado de convênios da Prefeitura com o Governo do Estado, onde o Município paga uma gratificação para policiais militares que aceitam trabalhar nas ruas de Niterói nos dias de folga. No caso do Niterói Presente, há um efetivo fixo de policiais, alguns já reformados, e agentes civis. Os programas pagos pela prefeitura colocam em média 448 homens por dia nas ruas patrulhando a cidade.

Para o vereador Renato Cariello, presidente de Comissão de Segurança da Câmara, e autor das indicações dos dois convênios, a presença dos agentes nas ruas devolveu a sensação de segurança a população niteroiense.

“Quando o Proeis chegou, em 2012, vivíamos um momento delicado na cidade com aumento da criminalidade. A atuação dos militares foi fundamental para estabilizarmos a situação. Posterior a isso, o município investiu em segurança. Indicamos a criação do Niterói Presente, o Cisp, Cidade da Ordem Pública, entre outras ferramentas de segurança. Hoje temos um cenário muito mais tranquilo, com redução significativa dos indicadores de criminalidade”, disse o vereador Renato Cariello.

O major David Costa, coordenador do Programa Segurança Presente no estado, analisa que um dos pontos fundamentais do Programa Niterói Presente foi sua integração com todos os órgãos de segurança, através do Gabinete de Gestão Integrada de Segurança.

“Esse trabalho fez toda diferença para podermos organizar melhor o policiamento na cidade, evitando sobreposição de policiais nas regiões. Além disso, o Niterói Presente estabeleceu uma relação com a sociedade de muita proximidade e muita troca de informação. Esse foi outro fator decisivo para que pudéssemos, através de informações, alocar o contingente de forma adequada e assim estabelecer verdadeiramente um policiamento comunitário, com os resultados fantásticos que estamos obtendo e com a população nos abraçando pelo trabalho de excelência”, observou.

Investimento – O Programa Segurança Presente alcança todas as delegacias regionais da cidade. Atualmente, contam com a proteção dos agentes os bairros de Icaraí, São Francisco, Jurujuba, Charitas, Centro, Fonseca, Barreto Santa Rosa, além da Região Oceânica. O investimento da Prefeitura de Niterói no programa é de cerca de R$ 137 milhões por ano.

Notícias Relacionadas