Novo hospital terá 70 leitos no combate ao coronavírus

Foto: Vinícius Manhães / Divulgação PMM

O novo Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, em São José de Imbassaí abre nesta sexta-feira (1º) e receberá apenas pacientes graves de Covid-19, que serão encaminhados pelas unidades de saúde básicas e os polos de atendimento, aos leitos de UTI.

Inicialmente, serão abertos 25 leitos, que, conforme a evolução do quadro da pandemia, poderão chegar a 70. Haverá ainda um espaço com 5 leitos iniciais de suporte. É importante ressaltar que nesta primeira fase de funcionamento o hospital não estará aberto à população. Ainda no campo do combate à pandemia, há previsão de instalação na unidade de uma base de pesquisa científica em viroses, associada ao Laboratório de Biologia Molecular da UFRJ.

A unidade, que inicialmente funcionará como polo de atendimento aos casos mais graves de infecção pelo novo coronavírus, ocupa uma área total de 13 mil metros quadrados às margens do Km 22,5 da rodovia RJ-106 e é composta por três blocos: no bloco A estão localizados os consultórios médicos e a recepção; no B estão o centro cirúrgico e as UTIs, e no C funcionará a área de serviços como refeitórios, vestiários, administração e salas de TI.

Centro de testes

A parceria com a universidade também contempla a implantação de um centro de testes PCR, que fazem a detecção da Covid-19 ainda nos estágios iniciais. Profissionais de Saúde de Maricá já estão sendo treinados pela universidade e quando o sistema estiver operando, Maricá terá condição de analisar as amostras colhidas na cidade sem ter de envia-las ao laboratório Noel Nutels (Lacen), facilitando o diagnóstico e o início do tratamento.

Pós-pandemia

Após a pandemia de Covid-19, o Che Guevara começará a ser usado como unidade de referência de saúde da região, com um total de 137 leitos, centro cirúrgico e UTI adulta e neonatal, 19 enfermarias (com três leitos cada), seis salas de observação para adultos e mais três salas de observação para pediatria, além de um moderno centro de diagnósticos, com tomógrafo de alta resolução com 64 e 128 canais, capaz de fazer exames avançados coronarianos – Maricá é o único município do Estado do Rio com este moderno equipamento na rede pública. A previsão é que o tomógrafo comece a funcionar em julho.

A unidade conta também com um tanque de oxigênio de 11 mil litros (9.200 m³) para abastecer o complexo. Dezesseis cilindros estarão distribuídos pela unidade, cada um terá capacidade de 10 m³ – ao todo serão 160 m³ a mais de oxigênio. O investimento da prefeitura no hospital é de R$ 50 milhões, realizado com recursos próprios.

Notícias Relacionadas