Obras do IFF em Itaboraí serão retomadas

Parada desde 2016, as obras do Instituto Federal Fluminense (IFF) devem ser retomadas. O projeto já tem logística e arquitetura definida, além de orçamento de R$ 10 milhões para ser retomada. O prazo de conclusão do projeto é de um ano e oito meses. A informação foi repassada pelo prefeito de Itaboraí, Dr. Sadinoel Souza, depois de uma reunião com o reitor substituto do Instituto Federal Fluminense (IFF), José Luiz Boynaret e o diretor de Relações Institucionais, Fernando Ferrara.

O local possui 34.800 m², isso sem contar com o estacionamento, e já tem 6.648 metros de área construída. Todos os blocos já foram iniciados e contam com um auditório, blocos pedagógico e administrativo, hall de recepção, biblioteca, área de convivência e refeitório, quadra poliesportiva, laboratório de análise de petróleo e laboratórios especiais de física e química. A expectativa é que 1,2 mil estudantes ocupem esses espaços. O Instituto funcionará em três turnos e cada sala contará em média, com 40 acentos.

Segundo Sadinoel, a retomada das obras pode dar um novo norte para a população da cidade.

“É esse o futuro que buscamos para nossa cidade”, disse o chefe do Executivo.

Durante o encontro foi realizado uma visita ao terreno onde o Instituto está sendo construído. O deputado federal Carlos Jordy falou sobre o esforço para retomada das obras.

“Esse nosso trabalho de retomar as obras o IFF foi realmente algo muito gratificante, pois, agora estamos vendo se materializar todo o nosso esforço junto ao Ministério da Educação, junto ao ministro Abraham Weintraub, uma pessoa que ouviu atentamente nossas demandas e se reuniu com todos os agentes políticos e viu a necessidade de estarmos retomando essas obras”, falou o deputado federal Carlos Jordy.

O reitor substituto do IFF falou sobre a expectativa do projeto.

“Uma das pautas que conversamos hoje com o prefeito Dr. Sadinoel foi exatamente a necessidade de se estabelecer uma audiência pública ou mais audiências públicas no sentido de identificar quais seriam as ofertas de interesse da comunidade nesse primeiro momento”, concluiu, José Luiz Boynaret.

Geração de empregos – Uma das metas da construção do Instituto Federal Fluminense é gerar empregos no município. Aproximadamente 70 professores e 40 técnicos administrativos trabalharão no local, além de vigilantes, profissionais de limpeza e profissionais da manutenção. Para as obras, cerca de 100 operários serão empregados.

Notícias Relacionadas