Obras do IFF Maricá devem ser finalizadas ainda em 2017

A conclusão das obras do Instituto Federal Fluminense (IFF) de Maricá está prevista para o fim de 2017. A afirmação é do secretário de Obras, Marcos Camara, que visitou o local nesta sexta-feira (28/07) acompanhado do corpo técnico do IFF em Ubatiba. A estrutura do IFF está sendo feita pela Prefeitura, que também cedeu o local, em uma área total de mais de 42 mil m² – com 5 mil m² de área construída – e contará com sete prédios de dois pavimentos, bloco pedagógico com 12 salas de aulas, 10 laboratórios técnicos, uma biblioteca, um centro de vivência com refeitório, um auditório, um anfiteatro e uma quadra poliesportiva. Todos os campus do Brasil tem o mesmo padrão, porém o de Maricá terá os blocos mais espaçados para aproveitamento melhor do terreno.

O laboratório e o refeitório já estão recebendo o telhado de estrutura metálica. O auditório está recebendo a alvenaria e o bloco pedagógico já está com piso do tipo granitina e receberá os revestimentos em breve. Além disso, o bloco conta com a calha metálica através da qual passará toda a fiação. Quando for necessário fazer manutenção, não haverá transtorno na estrutura. A biblioteca já está recebendo a laje e todos os blocos já estão com a emboço.

“Estamos com a previsão de entrega para o final de 2017. No final de agosto, o local receberá o arruamento e daremos início à obra do ginásio. Além disso, já executamos mais da metade da intervenção”, ressaltou Marcos Camara. Sobre a parceria com a comissão local, o secretário afirmou estar contente e destaca que conseguirão adaptar diversos projetos sem causar futuros transtornos para o local.

A diretora geral do IFF de Maricá, Regiane Costa, acompanha a obra desde 2015. “Temos essa comissão local que é composta por docentes e estudantes para acompanhar a obra e ajudar no que for preciso, assim, nossa parceria fica bem melhor. Estamos com uma ótima comunicação com os engenheiros e com o secretário”, avaliou. “Desde o início do ano tivemos uma evolução significativa e que nos renova o ânimo de trazer nossa estrutura logo para cá”, disse Regiane, acrescentando que Maricá foi privilegiada, pois desde 2008 não havia mais nenhuma expansão do Instituto e a previsão é que a próxima seja daqui há 20 anos.

Notícias Relacionadas